UOL Notícias Notícias
 

12/05/2008 - 12h11

Papa pede a Israel maior liberdade de movimento para palestinos

Cidade do Vaticano, 12 mai (EFE).- O papa reconheceu o direito de Israel à segurança e à autodefesa e pediu ao Governo do Estado judeu que "alivie o sofrimento" dos palestinos, concedendo a estes uma maior liberdade de movimento.

Bento XVI também fez um apelo para que se chegue o mais rápido possível a uma "paz justa", que ponha fim ao conflito entre Israel e palestinos.

O pontífice fez as declarações em discurso dirigido ao novo embaixador de Israel na Santa Sé, Mordechay Levy, que hoje apresentou suas credenciais.

"A Santa Sé reconhece a legítima exigência de segurança e de autodefesa de Israel e condena com firmeza qualquer forma de anti-semitismo. Considera ao mesmo tempo que todos os povos têm direito às mesmas oportunidades para prosperar", disse o papa em seu discurso.

Bento XVI acrescentou que, "como conseqüência", pede ao Governo israelense que "alivie o sofrimento" dos palestinos, concedendo-lhes "a liberdade necessária para que se movimentem em seu dia-a-dia, incluindo traslados a locais sagrados", e que também "possam gozar de maior paz e segurança".

O papa parabenizou o novo embaixador pelo 60º aniversário da criação do Estado de Israel e disse que a Santa Sé "dá graças a Deus pelo fato de terem sido cumpridas as aspirações do povo judeu de ter uma casa na terra de seus pais".

Defendeu ainda o desenvolvimento das relações bilaterais entre a Santa Sé e Israel, estabelecidas há 15 anos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host