UOL Notícias Notícias
 

15/06/2008 - 10h02

Processo de paz não consegue parar assentamentos judaicos na Cisjordânia

Ana Cárdenes Betar Illit (Cisjordânia), 15 jun (EFE).- Sete meses depois da cúpula em Annapolis, na qual Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP) se comprometeram a alcançar este ano a paz, o barulho das escavadeiras e betoneiras continua soando nos assentamentos judaicos na Cisjordânia.

Um exemplo é a colônia ultra-ortodoxa judaica de Betar Illit, ao leste da cidade de Belém e vizinha às aldeias árabes de Nahalin e Husan, para onde recentemente foi anunciada a construção de 286 novos imóveis.

Os operários, quase todos árabes que não têm outra saída do que trabalhar nestas construções para sobreviver, ampliam a cada dia este assentamento, situado ao leste da "linha verde" que marca as fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias (1967).

"Betar Illit está em terra palestina, ocupada por Israel militarmente em 1967. Mas o problema não está só aqui: estão construindo assentamentos para os israelenses em toda a Cisjordânia", disse à Agência Efe Mohammed Jadallah, diretor do Centro para o Desenvolvimento de Jerusalém.

Segundo a Organização para a Libertação da Palestina (OLP), atualmente há cerca de 5.000 imóveis em construção em assentamentos na Cisjordânia e, desde a conferência em Annapolis, o Governo israelense concedeu permissões para construir cerca de 10.000 casas, na maioria em Jerusalém Oriental e seus arredores.

Além disso, nestes sete meses, o Governo do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert promoveu a licitação da construção de 847 imóveis, seis vezes mais do que no ano anterior.

Tudo isso apesar de Olmert e de o presidente da ANP, Mahmoud Abbas, terem se comprometido em novembro do ano passado, na cúpula em Annapolis (EUA), a alcançar um acordo de paz este ano negociando de acordo com o Mapa do Caminho, que exige o fim da expansão dos assentamentos, incluindo o "crescimento natural".

Mas, segundo Jadallah, "depois de Annapolis, parece que os israelenses tiveram uma febre" e realizam uma corrida contra o tempo para obter a maior parte de terreno possível antes de assinar a paz, e impor os fatos consumados no terreno.

"Israel quer ficar com toda a terra palestina, mas sem a população palestina", disse.

A postura oficial israelense é muito diferente.

"Betar Illit é um dos blocos de assentamentos que ficarão dentro do território de Israel em qualquer acordo final, e nós jamais nos comprometemos a parar a construção nesses blocos", segundo o Governo israelense.

"O atual Governo fez mais do que nenhum outro para controlar o crescimento dos assentamentos ilegais (aqueles não autorizados nem pelos Governos israelenses)", disse à Efe Mark Regev, porta-voz de Olmert.

Segundo o porta-voz, seu país "não está construindo novas colônias, não expande os assentamentos existentes e anulou as subvenções incentivavam a morar nos assentamentos".

De acordo com Regev, "quase toda a construção é feita em Jerusalém e nos grandes blocos de assentamentos. E há um consenso internacional que ficarão dentro de Israel".

Nestes blocos, os guindastes continuam construindo casas para judeus sobre terra árabe.

Segundo o agricultor palestino Ibrahim Sukar, que perdeu grande parte de suas terras com a ampliação de Betar Illit, "esse terreno (onde agora há construção) era todo nosso, mas nos tiraram".

O pai do agricultor foi esta semana depor em um tribunal israelense para recuperar suas terras, mas a luta judicial é longa, cara e, em muitos casos, sem resultados.

"Estamos gastando muito dinheiro para combater a desapropriação.

O que essa gente espera, que acabemos indo? Nunca iremos embora", disse.

Nem Sukar nem seus vizinhos são contra as negociações de paz relançadas em Annapolis, mas têm poucas esperanças de que estas sirvam para alguma coisa.

"Quanto mais se negocia, mais terra perdemos", afirmou.

Dentro do assentamento, a visão é outra.

"Como morador de Betar Illit, posso garantir que não está sendo construído aqui", disse o israelense Efraim Burstein.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host