UOL Notícias Notícias
 

05/09/2008 - 18h02

McCain supera Obama em audiência, mas não nas pesquisas

Washington, 5 set (EFE).- O candidato republicano à Pesidência dos Estados Unidos John McCain captou uma maior audiência em seu discurso de fechamento da Convenção de seu partido que seu oponente, Barack Obama, enquanto as distâncias entre os dois em intenções de voto ficam cada vez mais curtas.

O relatório sobre medição de audiências da empresa Nielsen Media indicou hoje que o discurso do candidato republicano de ontem à noite foi acompanhado por 38,9 milhões de pessoas, enquanto a de Obama da quinta-feira passada calcula-se que esteve na casa dos 38,4 milhões de pessoas.

Segundo este relatório, o discurso de McCain, que não obteve tão boas qualificações por parte da imprensa e dos analistas como o de Sarah Palin, sua candidata a vice-presidente, foi também mais ouvido que o desta.

Palin foi ouvida por 37,2 milhões de pessoas, enquanto que o aspirante democrata à Vice-Presidência Joe Biden foi acompanhado por 24 milhões de pessoas.

Este maior nível de audiência trouxe uma subida nas pesquisas para a dupla republicana, apesar de McCain-Palin ainda não ter conseguido superar Obama-Biden.

Uma pesquisa da Gallup publicada hoje indica que os oito pontos que Obama tinha à frente de McCain no começo desta semana, 50%-42%, estão agora reduzidos a quatro, 48-44, a favor da candidatura democrata.

As pesquisas, no entanto, não são homogêneas, visto que outra da CBS, publicada também hoje, mostra que Obama e McCain estão empatados quanto a intenções de voto em 42%.

Uma pesquisa similar feita por esta rede de televisão há poucos dias dava a Obama uma vantagem de oito pontos sobre McCain (48%-40%).

O que sim parece claro é que a estrela da campanha é, desde que se apresentou na Convenção republicana, a nova candidata republicana à Vice-Presidência de EUA, Sarah Palin, que neste momento, segundo uma pesquisa de Rasmussen, tem um nível de aceitação de 58%.

Trinta e sete por cento têm uma opinião desfavorável em relação a ela, mas, no entanto, Palin conta com uma opinião "muito propícia" de 40% dos potenciais eleitores.

A nova pesquisa também indica que está aumentando o número de pessoas que pensa que McCain fez uma boa escolha e 51% pensa que os meios de comunicação tentaram desacreditar a candidata.

Igualmente, sua escolha serviu para que os republicanos tenham agora uma melhor impressão de seu candidato a presidente.

Há uma semana, quando apresentou Palin, McCain contava com a opinião propícia de 42% de seus correligionários, que agora é de 54%.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host