UOL Notícias Notícias
 

04/12/2008 - 17h23

Índia diz ter provas que implicam Inteligência paquistanesa em ataques

Nova Délhi, 4 dez (EFE) - A Índia tem provas da implicação do serviço secreto do Paquistão (ISI) no planejamento do recente atentado em Mumbai e no treinamento dos terroristas que o cometeram, segundo uma fonte da Inteligência indiana.

"Estamos totalmente convencidos de que o ISI está envolvido nos ataques a Mumbai", disse a fonte à agência "Ians".

A revelação, feita simultaneamente pelas agências "Ians" e "PTI" e pela rede de televisão indiana "NDTV", atribui o atentado ao grupo Jamaat-ud-Dawa, sob o qual esconde-se o proibido Lashkar-e-Toiba (LeT), o qual até agora o Governo apontou como responsável pelos ataques que mataram 188 pessoas na semana passada.

Fontes não identificadas citadas pela "PTI" afirmam que o Governo indiano tem os nomes dos membros do ISI que treinaram os terroristas e dos lugares onde receberam instrução no Paquistão, e se "recusa a crer" que isso tivesse acontecido sem o conhecimento do Exército paquistanês.

A fonte de inteligência da "Ians" insistiu em que a Índia entregará ao Paquistão, em breve, a lista com esses nomes, que está sendo preparada com a colaboração dos serviços secretos americanos.

A Índia dará ao Paquistão "uma quantidade de tempo razoável" para que aja em resposta a essa informação, acrescentou.

A versão da "PTI" destacou também que a Índia não acredita em que o Governo paquistanês esteja envolvido no ataque, mas que é "alvo" de um golpe terrorista que o Exército paquistanês poderia aproveitar para aumentar a tensão com a Índia e voltar ao poder.

O Governo de Yousaf Raza Gillani chegou ao poder em março deste ano após vencer nas eleições os partidos que apoiavam o general Pervez Musharraf, que renunciou em agosto após ter se retirado, no ano anterior, da Chefia do Exército.

Gillani e o presidente Asif Ali Zardari ofereceram à Índia toda colaboração para investigar o atentado de Mumbai, mas rejeitaram entregar os terroristas "foragidos" reivindicados pelo Governo indiano, entre eles o chefe do LeT, Mohammed Said.

Após gestões da chefe da diplomacia americana, Condoleezza Rice, hoje em Islamabad, Zardari prometeu que o Governo atuará contra qualquer "elemento" paquistanês que se demonstre culpado do atentado na capital financeira da Índia.

O tempo todo, as autoridades paquistanesas reiteraram que serão os tribunais do país que julgarão os supostos terroristas contra os quais a Índia entregar provas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host