UOL Notícias Notícias
 

25/02/2009 - 21h15

EUA consideram que situação de direitos humanos piorou na China

Washington, 25 fev (EFE).- Os Estados Unidos consideram que a situação dos direitos humanos na China "piorou em algumas áreas" em 2008, embora a realização dos Jogos Olímpicos em Pequim devesse ter promovido uma melhora do ambiente político e social, ressaltou hoje um relatório do Departamento de Estado americano.

O estudo foi elaborado durante o Governo do ex-presidente George W. Bush, mas a atual secretária de Estado americana, Hillary Clinton, respaldou o documento.

O Departamento de Estado afirmou que "o histórico do Governo (chinês) em direitos humanos seguiu sendo pobre e piorou em algumas áreas" em 2008.

"Durante o ano, o Governo aumentou sua grave repressão cultural e religiosa de minorias étnicas nas áreas tibetanas, e na região autônoma de Xinjiang Uigur aumentou as detenções e perseguição de dissidentes e manteve um rígido controle sobre a liberdade de expressão e internet", acrescentou.

Nas regiões tibetanas do país, a situação "piorou gravemente durante o ano. As autoridades seguiram cometendo graves abusos dos direitos humanos, incluindo tortura, detenções arbitrárias, prisões extrajudiciárias e prisão domiciliar".

Os EUA consideram que "a preservação e desenvolvimento" cultural tibetano ainda são motivo de preocupação.

As autoridades americanas também criticaram Pequim por não proteger de forma adequada os refugiados procedentes de outros países, especialmente da Coreia do Norte.

Outras violações incluídas no documento foram assassinatos extrajudiciários, torturas e confissões forçadas a prisioneiros e os trabalhos forçados, entre eles os realizados por reclusos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host