UOL Notícias Notícias
 

23/05/2009 - 15h35

Irã bloqueia Facebook após início de campanha eleitoral

Teerã, 23 mai (EFE).- O Ministério das Comunicações iraniano bloqueou o acesso ao site da rede social Facebook no país menos de 24 horas depois do início da campanha para as eleições presidenciais, marcadas para o próximo dia 12.

A medida afeta negativamente as candidaturas reformistas, que confiavam na plataforma virtual para atrair votos, especialmente de jovens e mulheres.

ELEIÇÕES NO IRÃ

Ex-presidente reformista, Mohammad Khatami entra na campanha iraniana em apoio a rival de Ahmadinejad



Nas últimas semanas, os partidários do ex-primeiro-ministro Mir Hussein Mousavi, candidato à Presidência iraniana, se mostraram muito ativos na divulgação de sua agenda e de suas propostas por meio do Facebook.

A página de Mousavi na rede social contabilizava cinco mil adesões até o momento de seu bloqueamento.

De forma similar, também começaram a se organizar pela internet os eleitores do ex-presidente iraniano Mohamad Khatami, que entrou hoje na campanha com um grande ato de apoio a Mousavi.

Integrantes da campanha do ex-primeiro-ministro disseram hoje à Agência Efe que estão avaliando a possibilidade de abrir outras páginas e que em nenhum momento pensam em abandonar a ação na web.

Outros candidatos que foram afetados pelo veto ao acesso ao Facebook no Irã são o reformista Mehdi Karroubi e o conservador moderado Mohsen Rezaee.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, que concorre à reeleição, também tem apoio no Facebook e em outras páginas da internet, mas todas elas não têm relação com os organizadores de sua campanha.

A atual medida contra a rede social entra em um contexto de restrição e controle dos meios de comunicação iniciado nas semanas anteriores ao início da campanha eleitoral.

O Poder Judiciário iraniano interrompeu a reedição do jornal reformista "Yas-e No" um dia antes de a publicação voltar às ruas após seis anos vetada.

Além disso, Mousavi e Karroubi denunciaram um tratamento preferencial a Ahmadinejad de parte da televisão estatal, que fez uma ampla cobertura de suas visitas a diferentes províncias iranianas.

A televisão estatal, cujo diretor é escolhido diretamente pelo líder supremo e que não tem concorrência, já que os canais privados são proibidos, deve organizar seis debates entre os candidatos nos últimos dez dias de campanha.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host