UOL Notícias Notícias
 

07/07/2009 - 15h56

Londres pede que A.Latina influencie em acordo sobre mudança climática

Londres, 7 jul (EFE).- A América Latina tem grande influência e vínculos no G77, grupo que reúne os países em desenvolvimento, para favorecer um acordo na conferência internacional sobre a mudança climática, que será realizada em dezembro, em Copenhague.

As declarações foram feitas hoje em uma conferência em Londres pelo subsecretário de Estado do Ministério de Assuntos Exteriores do Reino Unido, Chris Bryant, que opinou que a América Latina pode ser uma referência política em um tema tão importante.

Bryant e Michael Reid, diretor na América Latina da revista "The Economist", participaram de um debate organizado pelo Overseas Development Institute (ODI) sobre o papel da região na política internacional.

O debate foi realizado com o objetivo de estabelecer se a América Latina é uma região que fixa o rumo da política ou se é uma mera consumidora das políticas de outros lugares do planeta.

A postura final do G77 em Copenhague, "a melhor e última oportunidade" de chegar a um acordo mundial na luta contra o aquecimento global, será decisiva e Bryant espera que a América Latina domine o tema.

O subsecretário de Estado afirmou que a região mudou muito nos 20 anos.

A região "passou por uma importante melhoria econômica nas últimas décadas, apesar de ainda persistirem grandes desigualdades sociais", disse Bryant Reid alertou sobre o erro de olhar para a América Latina como se ela fosse homogênea.

Para Reid, o Brasil e, em menor medida, o México são potências regionais com políticas próprias e a área em geral pode ser uma referência política para os países em desenvolvimento porque "apostou na democracia para reduzir as desigualdades econômicas".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host