UOL Notícias Notícias
 
27/09/2009 - 11h01

Abbas exige fim da colonização israelense na Cisjordânia

Paris, 27 set (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, exigiu hoje o fim da colonização israelense na Cisjordânia e destacou que não discutirá o reatamento das negociações com Israel antes da reunião da Liga Árabe, no dia 4 de outubro.

"A colonização deve acabar", ressaltou Abbas em entrevista coletiva conjunta com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, em Paris, na qual afirmou que não terá "uma reação rápida" ao reatamento das construções dos assentamentos.

O líder palestino afirmou que a moratória para a construção de colônias israelenses "deveria ser prolongada por mais três ou quatro meses, enquanto as negociações estão em curso", para que haja tempo de "aprofundar todos os assuntos que estão na mesa de negociações".

Por sua vez, Sarkozy também lamentou a decisão de Israel e afirmou que sempre manteve "a mesma posição" sobre o fim da moratória.

O presidente francês destacou a importância do fim da colonização e que a posição de seu país nesse sentido foi expressa em uma declaração que fez no Parlamento israelense em junho de 2008.

Segundo Abbas, é preciso "estudar todas as repercussões", com palestinos e com os países árabes. Por isso, ele afirmou que só falará sobre as negociações de paz para o Oriente Médio depois da reunião de 4 de outubro.

O líder palestino acrescentou que "tem de haver um consenso entre as partes para estabelecermos um mecanismo" que dê continuidade ao processo de paz.

"Tenho de continuar sendo otimista e manter viva a esperança", acrescentou Abbas, que se disse "absolutamente seguro" de que no final será criado "um Estado palestino", pois os israelenses sabem que "não é possível continuar vivendo sem paz".

Por sua vez, o presidente francês afirmou que seu desejo é "que os israelenses possam viver em paz junto aos palestinos" e garantiu que dirá hoje ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que "é necessário dar mais garantias ao presidente da ANP".

Sarkozy ressaltou que a União Europeia (UE) deve impor seu papel político no processo de paz.

"Não é viável para a Europa continuar financiando um Estado e ficar de fora do processo político", disse o presidente francês.

A UE lamentou hoje a decisão do Governo israelense de não estender a moratória para a construção de assentamentos, apesar dos apelos da comunidade internacional para o adiamento do prazo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host