UOL Notícias Notícias
 
12/01/2010 - 17h25

Hillary pede união ao Líbano após queda do Governo de Saad Hariri

Cairo, 12 jan (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, pediu nesta quarta-feira ao povo do Líbano que apoie seus partidos, em entrevista coletiva em Doha depois de se reunir com autoridades do Catar.

"Tudo o que o Líbano tem de fazer é se unir e o povo libanês deve apoiar seus partidos", afirmou Hillary, segundo a rede de televisão catariana "Al Jazira".

A oposição libanesa, liderada pelo grupo Hisbolá, provocou nesta quarta-feira a queda do Governo de união nacional de Saad Hariri, com a retirada de seus ministros do Executivo, em uma crise relacionada ao caso do assassinato do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri em 2005.

"Agora não é inteligente apontar o dedo de acusação e dizer quem fez o quê, mas temos de nos unir com base em princípios básicos, que são que o Líbano é um país soberano e independente, e que todos estamos dispostos a ajudá-lo", destacou Hillary.

A chanceler dos Estados Unidos pediu a todas as partes a "assumir um papel responsável para conseguir resultados na próxima etapa" e afirmou que seu país vai discutir com outros parceiros na região "como apoiar a justiça e estabilidade no Líbano".

Hillary, de visita ao Oriente Médio, lembrou que o tribunal internacional que investiga o caso de assassinato de Hariri em fevereiro de 2005 recebeu o apoio de todos, inclusive do grupo xiita Hisbolá, que lidera a oposição, quando começou suas investigações.

Segundo anunciaram os jornais libaneses, um grupo de 11 ministros dos 30 que compõem o Governo libanês anunciou sua renúncia nesta quarta-feira. Se mais de um terço do Gabinete renuncie, como foi o caso, a legislação do país exige uma nova formação no Governo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    1,02
    3,178
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,90
    67.976,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host