UOL Notícias Notícias
 

16/01/2010 - 17h46

Empresa brasileira afirma que não corta florestas de indígenas no Paraguai

Assunção, 16 jan (EFE).- A empresa criadora de gado brasileira Yaguareté Porá reafirmou hoje que não devasta as florestas de terras indígenas na região do Chaco, no oeste do Paraguai, como apontou a ONG britânica Survival.

Em vários comunicados, a Survival diz que fotografias e imagens de satélite mostram a entrada de máquinas da Yaguareté Porá nas florestas da região do Chaco, onde vive a etnia dos ayoreo-totobiegosode, tradicionalmente isolados.

"É uma afirmação temerária e irresponsável por parte da Survival que essa região aonde se encontra nossa criadora de gado é território ayoreo, quando não existe um estudo sério, aprovado pelas autoridades públicas, que confirme que a mesma era realmente terra destes irmãos indígenas", diz a empresa em uma carta.

A Yaguareté Porá mencionou que "não deixa de chamar a atenção" que as denúncias da Survival apareçam em um momento no qual a companhia solicita "legitimamente a renovação da Licença Ambiental" ao Governo paraguaio, que, segundo a companhia, "arbitrariamente" segue sem resolução.

A empresa sustenta que a fazenda em questão, situada no município de Puerto Casado, no departamento de Alto Paraguai, é contígua ao território dos ayoreo-totobiegosode e tem uma superfície de 78 mil hectares, das quais 34 mil serão utilizadas para os trabalhos criadoras de gado.

A Yaguareté Porá destaca também que criou uma reserva florestal de 27.508 hectares na parte do terreno que limita com as terras indígenas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host