UOL Notícias Notícias
 

04/02/2010 - 13h31

Sinn Féin conclui negociações por considerar que há bases para acordo

Dublin, 4 fev (EFE).- O Sinn Féin, antigo braço político do inativo IRA, anunciou hoje que há "bases" para conseguir um acordo sobre a devolução ao Governo norte-irlandês das competências de Justiça e Interior após dar por concluídas as negociações.

Após dez dias de intensas conversas com os Governos britânico e irlandês e o majoritário Partido Democrático Unionista (DUP), o Sinn Féin considera que as partes dispõem agora de uma minuta de acordo para completar a transferência de Londres a Belfast dessas competências, um dos últimos pontos pendentes do processo de paz.

Os republicanos ameaçaram abandonar o Executivo de poder compartilhado entre católicos e protestantes, se o DUP não fixasse uma data para a devolução dos poderes, o que provocaria uma grave crise política e a convocação de eleições autônomas antecipadas.

"As negociações terminaram. Acreditamos que é uma conclusão positiva e acreditamos que existem as bases para seguir adiante", declarou hoje o parlamentar do Sinn Féin Gerry Kelly, quem recusou fazer comentários sobre a posição do DUP.

Espera-se agora que o líder do DUP, Peter Robinson, se reúna com seu grupo parlamentar para apresentar uma minuta de acordo que deveria fixar a data para a transferência das competências e abordar outros assuntos que dificultaram o avanço das conversas.

Nos últimos dias, separaram questões inaceitáveis para os republicanos, como as reivindicações dos unionistas para abolir a Comissão de Desfiles, organismo que supervisiona e modifica as rotas das controvertidas manifestações da Ordem de Orange - protestante - por certas regiões católicas.

O Sinn Féin quer avanços no reconhecimento da língua gaélica irlandesa, na cooperação entre os Parlamentos de Belfast e Dublin e em pontos da legislação sobre igualdade e direitos.

Segundo fontes ligadas às negociações, o líder do DUP, Peter Robinson, topou com a reticência da ala conservadora do partido para aceitar um acordo, o que gerou dúvidas sobre sua liderança.

O atual clima de otimismo foi reforçado pela volta nesta quarta-feira de Robinson à chefia do Governo norte-irlandês, depois que abandonasse o cargo temporariamente em 11 de janeiro por causa de um escândalo sexual e financeiro de sua esposa Iris.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host