UOL Notícias Notícias
 

11/02/2010 - 07h46

Jordânia detém escritores por críticas à cooperação com os EUA

Amã, 11 fev (EFE).- As autoridades da Jordânia detiveram dois escritores por suas críticas à cooperação entre os serviços de inteligência jordaniano e americano no combate à Al Qaeda, informaram hoje fontes judiciais.

Mouwafak Mahadin e Sofian al-Tal tiveram a prisão decretada pelo procurador-geral do Estado, depois que vários militares reformados acusaram os dois de "ofender o Exército jordaniano e trair o sangue de seus mártires".

No mês passado, Hamadin esteve em um programa da rede de TV catariana "Al Jazira". Durante sua participação, ele acusou a Jordânia de cooperar com os Estado Unidos na luta contra a Al Qaeda, dias depois do atentado de 30 de dezembro no Afeganistão, no qual morreram sete membros da CIA (agência de inteligência americana) e um oficial jordaniano.

O atentado foi cometido por Homam Balawi, um jordaniano que supostamente era um agente duplo e que os EUA esperavam que pudesse levá-los até o segundo homem na hierarquia da Al Qaeda, Ayman al-Zawahiri.

Após esse episódio, Mahadin e outros escritores jordanianos sugeriram que a Jordânia não deveria abraçar guerras em nome dos EUA.

Dentro da cooperação entre os dois países, o primeiro-ministro jordaniano, Samir Rifai, disse uma vez que perseguiria os membros da Al Qaeda, esteja onde estiverem, para evitar atentados como os que, em 2005, tiveram como alvo três hotéis de Amã e mataram 60 pessoas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,45
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,39
    64.684,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host