UOL Notícias Notícias
 

11/02/2010 - 18h55

Médico acusado da morte de Michael Jackson volta ao trabalho

Los Angeles (EUA), 11 fev (EFE).- O médico Conrad Murray, acusado de homicídio culposo (sem intenção) pela morte de Michael Jackson, retornou ao trabalho em Las Vegas à espera do início do julgamento.

Murray deve continuar exercendo a profissão enquanto se desenrola o processo judicial em que pode ser condenado a até quatro anos de prisão.

O cardiologista, de 56 anos, nega responsabilidade na morte do cantor e se declarou inocente das acusações de homicídio apresentadas pela Promotoria na segunda-feira, em Los Angeles.

Murray está em liberdade por ter pago uma fiança de US$ 75 mil e pouco depois deixou a Califórnia rumo a Las Vegas, um dos estados onde recebe habitualmente seus pacientes.

O médico também dá consultas no Texas e tem licença para trabalhar na Califórnia.

O juiz que instrui o caso sobre a morte de Michael Jackson, Keith L. Schwartz, fixou a audiência preliminar do julgamento para o próximo dia 5 de abril.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host