UOL Notícias Notícias
 

12/02/2010 - 22h50

Bill Clinton afirma que Haiti se "libertará das ruínas"

Nações Unidas, 12 fev (EFE).- O coordenador da ajuda internacional para o Haiti, o ex-presidente americano Bill Clinton, afirmou hoje que o país caribenho tem a oportunidade de "se livrar das ruínas do terremoto" que devastou o território há exato um mês.

Clinton, que se recupera em sua casa nos arredores de Nova York de uma cirurgia de emergência no coração pela qual passou na quinta-feira, se mostrou convencido de que os haitianos poderão reconstruir o país gravemente destruído.

"Se é possível fazer? Sim, mediante um processo aberto, responsável e liderado pelos haitianos que receba nossa ajuda. Apesar da enorme perda, Haiti ainda tem a oportunidade de se livrar das ruínas do terremoto", assegurou Clinton em comunicado divulgado por sua fundação.

Ele reafirmou seu compromisso, como enviado especial da ONU, de colaborar com o Governo do Haiti, sua população e a comunidade internacional, entre outros, para responder às necessidades dos milhões de desabrigados pelo terremoto de 12 de janeiro.

O ex-presidente disse que viajou em duas ocasiões à área desde então, o que lhe permitiu comprovar que a situação melhora dia após dia, apesar dos inúmeros desabrigados que ainda necessitam de água, alimentos, abrigo e assistência médica.

Clinton ressaltou no comunicado "a generosa" resposta internacional à catástrofe, que permitiu socorrer as vítimas, apesar das difíceis condições em que ficou o país, o mais pobre da América.

Além disso, qualificou de "admirável" a quantidade de doações que recebeu sua fundação e o Fundo Clinton-Bush, que administra junto com o ex-presidente George W. Bush.

Clinton também chamou a atenção sobre a resposta dos haitianos à tragédia que sofreu o país e disse que "fizeram muito com muito pouco".

A saúde do ex-presidente dos Estados Unidos, muito popular no país, preocupou a todos os americanos, já que em 2004 lhe foram colocados quatro "by-pass", dos que um deles se bloqueou e foi a causa de seu recente mal-estar, segundo sua equipe médica.

O presidente do Haiti, René Préval, pediu orações pela saúde do ex-líder americano na cerimônia oficial em Porto Príncipe que relembra um mês da catástrofe.

O terremoto de 7 graus na escala Richter registrado no Haiti em 12 de janeiro devastou o país mais pobre da América, onde são contabilizados 217 mil mortos e cerca de 1 milhão de pessoas estão desabrigadas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host