UOL Notícias Notícias
 

12/02/2010 - 15h16

Lula deve falar com oposição se visitar Irã, diz Nobel da Paz iraniana

Genebra, 12 fev (EFE).- A advogada iraniana Shirin Ebadi, vencedora do prêmio Nobel da Paz de 2003, disse hoje que, se o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitar o Irã em maio, deve falar com opositores, ativistas e familiares de detidos e não apenas com os governantes.

Segundo Ebadi, algo diferente disso seria uma violação de os direitos humanos.

"Eu acredito no diálogo, acredito que, se o presidente brasileiro vai ao Irã, não há nada errado nisso. Todas as visitas (de líderes estrangeiros) são úteis, mas só se falarem com a oposição, com os parentes dos detidos, e não só com os responsáveis políticos", afirmou a iraniana.

Para a advogada, a visita de Lula só seria aceitável "se as conversas com os dirigentes não se limitassem aos assuntos econômicos, mas também comentassem a situação dos direitos humanos".

De acordo com Ebadi, "se (Lula) só vier ver (o presidente iraniano, Mahmoud) Ahmadinejad e outros dirigentes e assinar acordos econômicos, isto iria contra os direitos humanos e contra a democracia".

"Na História, os Governos vão e vêm, mas os povos ficam", ressaltou, ao pediu a garantia de que Lula vai se interessar pelos direitos humanos no Irã.

Em novembro, Lula recebeu em Brasília o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad. A aproximação com o Irã gerou críticas de setores conservadores no Brasil e de países como Israel.

Segundo a imprensa brasileira, o Governo estaria estudando a possibilidade de anular a possível visita de Lula devido à situação interna no Irã e aos conflitos com o Ocidente relacionados ao programa nuclear iraniano.

O Brasil se manifestou a favor do diálogo com o Irã e contra a imposição de sanções econômicas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host