UOL Notícias Notícias
 

17/02/2010 - 17h27

Chuvas prejudicam 39 mil famílias na Bolívia

La Paz, 17 fev (EFE).- As chuvas que caem na Bolívia desde o final de 2009 já prejudicaram 39 mil famílias em todo o país, informou hoje o vice-ministro boliviano da Defesa Civil, Hernán Tuco.

Em declarações ao canal estatal de televisão, ele disse que o número de desabrigados pelas chuvas no país até o momento é inferior ao registrado em outras épocas, quando "se falava de 120 mil famílias afetadas a esta altura do ano".

Tuco atribuiu esse fato aos trabalhos de prevenção no país, principalmente na região amazônica de Beni (nordeste), que já foi uma das mais afetadas pelas inundações.

O vice-ministro informou que 107 dos mais de 337 municípios do país foram afetados pelas enchentes. Ele apontou que as principais regiões prejudicadas são Cochabamba (centro), Santa Cruz (leste), Chuquisaca (sudeste), Beni e La Paz.

As fortes chuvas, decorrentes do fenômeno climático El Niño, deixaram um saldo total de 15 mortos e 11.500 hectares de plantações danificadas.

Tuco comentou que o principal esforço do Governo boliviano é evitar mais mortes. Na próxima fase, quando cair a intensidade das chuvas, serão feitos projetos para a recuperação agropecuária e das infraestruturas danificadas.

O Governo de Evo Morales declarou estado de emergência nacional pelas chuvas e alerta vermelho em áreas específicas de Cochabamba, Santa Cruz, Beni e La Paz pelo transbordamento de sete rios nessas regiões.

Um dos casos mais recentes aconteceu na cidade de Trinidad, de Beni, onde as intensas chuvas causaram inundações em dois bairros da periferia, afetando 120 famílias que foram transferidas a zonas mais altas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h00

    0,09
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h01

    -0,62
    63.689,93
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host