UOL Notícias Notícias
 

17/02/2010 - 17h21

Rússia e EUA revisarão tratado de mísseis nucleares de médio e curto alcance

Moscou, 17 fev (EFE).- A Rússia e os Estados Unidos discutirão em breve a revisão do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF na sigla em inglês) assinado por Washington e Moscou em 1987, informaram hoje fontes militares.

"Esperamos que as consultas russo-americanos sobre as perspectivas de preservar ou denunciar o INF comecem após a assinatura do novo tratado Start" de redução de arsenais estratégicos, disse a fonte à agência "Interfax".

A Rússia considera que "a preservação do tratado INF enquanto muitos países desenvolvem e ampliam esse tipo de armamento tornou-se inaceitável", acrescenta a fonte.

"Se outros países não se unirem ao tratado russo-americano INF, sua vigência poderia ser suspensa", advertiu.

A Rússia expressou em várias ocasiões nos últimos anos seu desejo de renunciar ao INF, o primeiro acordo que reduziu os arsenais nucleares durante a Guerra Fria, ao considerá-lo anacrônico.

"O tratado INF entre Moscou e Washington tem caráter indefinido, mas a possibilidade de abandoná-lo existe, se uma das partes apresentar provas convincentes sobre a necessidade de fazê-lo", declarou então Yuri Baluyevsky, ex-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.

Segundo o tratado, qualquer um dos dois signatários pode denunciá-lo se considera que seu cumprimento prejudica seus interesses nacionais.

O tratado foi assinado em Washington em 8 de dezembro de 1987 pelos então presidentes soviético, Mikhail Gorbachov, e americano, Ronald Reagan.

O INF acarretou em 1991 na eliminação de todos os mísseis balísticos e de médio alcance (de 1 mil a 5,5 mil quilômetros) e de curto alcance (de 500 a 1 mil quilômetros) de ambas as potências rivais.

A União Soviética destruiu 1.836 mísseis de curto e médio alcance, enquanto os EUA se desfizeram de 859.

Mikhail Gorbachov defendeu a assinatura do tratado ao considerar que "ficar de braços cruzados teria sido uma irresponsabilidade".

"Como resultado da corrida armamentista, chegou-se a uma situação na qual um conflito nuclear podia ocorrer não por uma decisão política, mas por acaso ou problema técnico", disse.

Gorbachov lembrou que os mísseis americanos de médio alcance Pershing instalados na Europa nos anos 80 "podiam atingir os pontos vitais de nosso país após cinco minutos de voo. Não tínhamos defesa contra isso. Era como um revólver na têmpora".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host