UOL Notícias Notícias
 

26/02/2010 - 22h20

Lula apóia Funes em visita a El Salvador

San Salvador, 26 fev (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva expressou hoje apoio ao presidente de El Salvador, Mauricio Funes, com a assinatura de diversos acordos na primeira visita oficial de um chefe de Estado a este país desde que Funes assumiu a Presidência em junho passado.

"Viemos aqui para mais uma vez dar provas do carinho que temos por El Salvador, por seu Governo", declarou Lula em entrevista à imprensa, após se reunir com Funes. O brasileiro deu conselhos ao colega salvadorenho sobre como governar como presidente de esquerda frente às exigências de simpatizantes e opositores.

Lula disse que, com sua visita, quer provar que "é totalmente possível trabalhar para o crescimento econômico do país e ao mesmo tempo fazer políticas de distribuição de riquezas".

Os dois Governos assinaram acordos de cooperação em saúde, agricultura e tecnologia, assim como um crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) entre US$ 300 milhões e US$ 500 milhões, para renovação do transporte coletivo do país.

Os presidentes lideraram um encontro de empresários, que, segundo Lula, permitirá aumentar as relações comerciais.

Após visitar o túmulo do arcebispo de San Salvador, Óscar Arnulfo Romero, assassinado em 1980 por um grupo de extrema-direita, Lula aproveitou para dar conselhos a Funes e recordar que também enfrentou "momentos difíceis".

"Por um lado tínhamos a desconfiança dos setores conservadores, mas por outro lado tínhamos a desconfiança de setores à esquerda do meu próprio partido. Foi com muita paciência, discussão e exercício de democracia que conseguimos construir o Brasil no qual vivemos hoje", sustentou.

"Jamais perca a paciência, jamais tome uma atitude precipitada. Se puder, conte sempre até dez", acrescentou. Ele se declarou confiante de que "El Salvador vai contar sua história antes e depois" de Funes.

Lula é o primeiro chefe de Estado que recebe Funes em visita oficial desde que assumiu o mandato em junho de 2009. Quando ascendeu ao poder, Funes anunciou que os presidentes do Brasil e dos Estados Unidos, Barack Obama, seriam as referências para ele.

"O Governo brasileiro demonstrou que é possível crescer e, ao mesmo tempo, conseguir também reduzir a pobreza, a exclusão social e transformar a sociedade brasileira em uma sociedade muito mais igualitária", disse Funes.

"Mas além dos instrumentos que foram assinados nessa oportunidade, o importante é o processo que se inicia com esta histórica visita de aproximação e de amizade que podem ser construídas entre o povo do Brasil e o povo de El Salvador", acrescentou.

O deputado salvadorenho Sigfrido Reyes, da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) - partido de Funes - disse à Agência Efe que a visita tem "um enorme significado" pela "grande amizade" de Lula com El Salvador e descartou que o FMLN seja "lulista" ou "chavista" (em referência ao presidente venezuelano Hugo Chávez).

"Praticamos uma política internacional baseada em nossa visão de mundo", acrescentou.

O deputado Vicente Mejívar, da Aliança Republicana Nacionalista (Arena), lembrou que "não é a primeira vez que Lula chega ao país" e destacou a "afinidade" do presidente com El Salvador.

Para o analista Rafael Castelhanos, a visita de Lula, "com ou sem intenção, deixa claro a mensagem que está com Funes". Ele considera o apoio brasileiro um contrapeso à influência do presidente venezuelano Hugo Chávez em El Salvador.

Castelhanos disse que "se a cooperação brasileira é ampla e generosa, pode fazer contrapeso ao dinheiro que Chávez destina a El Salvador e que lhe dá muito poder e capacidade" para com o FMLN, em alusão a uma entidade integrada por Prefeituras governistas para importar combustíveis da Venezuela.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host