UOL Notícias Notícias
 

27/02/2010 - 14h14

Líderes de diversos países prestam solidariedade ao Chile

Redação Central, 27 fev (EFE).- Líderes de diversos países, entre estes, Reino Unido, Equador, Colômbia, Peru, Venezuela, Bolívia, México, Paraguai e Uruguai manifestaram hoje condolências com o desastre no Chile e se colocaram à disposição para o que for necessário.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disse que o Chile está hoje com "dor" e acrescentou que seu país ajudará os chilenos em "tudo que for possível".

A Cruz Vermelha Britânica informou que disponibilizou 50 mil libras (55,5 mil euros) de seu Fundo de Desastres para a Cruz Vermelha do país.

Já o presidente equatoriano, Rafael Correa, enviou um "abraço solidário" ao povo e às autoridades chilenas.

"Todo nosso apoio, tudo o que possamos dar de forma incondicional" ao Chile, expressou o líder equatoriano, após indicar que espera comunicar-se em breve com a presidente chilena, Michelle Bachelet.

Por sua vez, o Governo da Colômbia manifestou apoio. A oferta foi feita pelo Ministério das Relações Exteriores, que formalizou "a pedido do presidente Álvaro Uribe".

O presidente do Peru, Alan García, assinalou que o país está "a serviço do Governo e do povo chileno para o que precisarem".

García assinalou que até o momento não há registros de peruanos mortos, já que no Chile há uma colônia de 100 mil pessoas.

O presidente venezuelano Hugo Chávez enviou uma mensagem aos familiares das vítimas, informou um comunicado da Chancelaria.

Assim como o líder da Venezuela, o presidente da Bolívia, Evo Morales, se manifestou: "queremos expressar nossa solidariedade com o povo chileno, com as famílias afetadas por esse terremoto, à presidente (Michelle Bachelet) e ao presidente eleito" Sebastián Piñera, afirmou Morales em um ato na cidade de Santa Cruz de la Sierra.

Da mesma forma, o México prestou condolências ao Governo e ao povo do Chile pelas consequências do sismo.

Em comunicado, a Secretaria de Relações Exteriores disse que o "Governo do México estará atento à informação proveniente deste país irmão e disposto a dar apoio".

Já o chanceler paraguaio, Héctor Lacognata, representando o Governo, "enviou um telegrama à presidente do Chile expressando a solidariedade e as condolências do Paraguai", assinala o texto oficial.

O chefe de Estado, Fernando Lugo, "conversará por telefone com Bachelet nas próximas horas", acrescenta o documento no qual se indica que por enquanto não há notícia de "de paraguaios afetados pelo terremoto".

Às vésperas de deixar o Governo, em comunicado do Ministério das Relações Exteriores, o Governo do presidente Tabaré Vázquez "se solidarizou" com o "Chile" e com as famílias das vítimas do "devastador terremoto".

Além disso, a nota assinala que o Governo uruguaio "já está analisando a melhor forma de canalizar a ajuda humanitária".

Até agora, o Governo chileno estima em 82 o número de mortes causadas pelo terremoto, que teve 8,8 graus na escala Richter, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host