UOL Notícias Notícias
 

01/03/2010 - 11h48

Lula destaca comércio ao comentar visita a países latino-americanos

Rio de Janeiro, 1º mar (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que Brasil e México têm potencial para um comércio bilateral três vezes maior e que as trocas com Cuba também crescerão à medida que o embargo à ilha for diminuindo.

Em seu programa de rádio semanal, durante o qual fez um balanço da viagem que fez na semana passada a Cuba, México, Haiti e El Salvador, Lula defendeu o aumento do comércio entre os países latino-americanos e a redução do superávit brasileiro com essas nações.

O presidente afirmou que uma das coisas mais importantes da viagem foi a reunião que teve com autoridades do México para tratar de assuntos comerciais.

"O Brasil precisa olhar com mais carinho para o México, e o México precisa olhar com mais carinho para o Brasil. Fizemos uma grande reunião com empresários mexicanos e brasileiros", disse o chefe de Estado.

"Precisamos estabelecer um padrão, porque Brasil e México têm potencial para uma balança comercial de mais de US$ 20 bilhões e ela não passa de US$ 7 bilhões", disse.

Lula acrescentou que a reconstrução do porto cubano de Maciel, uma obra de US$ 600 milhões da qual o Brasil participa, abre perspectivas para um aumento do comércio com Cuba.

"À medida que o embargo a Cuba diminui a cada dia, o comércio entre o Brasil e o país vai crescer, e o comércio entre Cuba e outros países crescerá muito", afirmou.

Sobre a viagem a El Salvador, Lula disse que tratou da venda de ônibus brasileiros ao país centro-americano e adiantou as negociações para um acordo de financiamento de exportações e serviços.

Segundo o governante, um grupo de empresários brasileiros o acompanhou a cada país visitado, o que, destacou, também contribui para o reforço das relações comerciais.

"Em meu discurso, disse que era importante os empresários brasileiros construírem associações com os empresários salvadorenhos para exportar produtos para os Estados Unidos, mas também para exportar para o Brasil, a fim de equilibrar a balança comercial, que hoje é muito favorável ao Brasil", declarou.

Em outro momento do programa, Lula destacou sua participação na reunião do Grupo do Rio no México, que deu origem a uma nova organização regional para agrupar todos os países da América Latina e do Caribe.

"Decidimos transformar todos os esforços em uma integração mais forte e criar uma instância que vai poder padronizar nossa atuação", disse.

"Acho que é algo muito importante, porque, antes, esses países olhavam muito para os Estados Unidos e a Europa. Agora, estamos percebendo que temos muitas coisas a fazer entre nós, muitos acordos, muito comércio e muita democracia para exercitar", acrescentou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,22
    3,175
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host