UOL Notícias Notícias
 

11/03/2010 - 10h51

Parlamento Europeu condena morte e prisão de dissidentes cubanos

Estrasburgo (França), 11 mar (EFE).- O Parlamento Europeu, por meio de uma resolução apoiada por quase todos os deputados da instituição, condenou hoje a morte do opositor cubano Orlando Zapata e exigiu a libertação "imediata e incondicional de todos os presos políticos" da ilha.

O texto, aprovado com 509 votos a favor, 30 contra e 14 abstenções, endurece os termos que a Eurocâmara costuma usar com o regime castrista e "lamenta a ausência de todo gesto significativo" de Havana em relação aos apelos da comunidade internacional sobre o respeito às liberdades e aos direitos fundamentais.

A resolução pede ainda à UE que intensifique seu diálogo com a oposição e estimule, "sem reservas, o início de um processo pacífico de transição política para uma democracia pluripartidarista em Cuba".

O texto aprovado hoje foi negociado ao longo desta semana por todos os partidos representados no Parlamento Europeu, com exceção da Esquerda Unitária Europeia, que apresentou um documento alternativo defendendo a normalização das relações da União Europeia (UE) com Havana.

A resolução apoiada pelos eurodeputados começa condenando "com firmeza a evitável e cruel morte" de Zapata após sua greve de fome, além da "detenção preventiva de ativistas e a tentativa do Governo de impedir a família de realizar um funeral".

Em outro trecho, o texto volta a pedir ao regime castrista a "libertação imediata e incondicional de todos os prisioneiros políticos e de consciência".

Além disso, expressa o apoio do Parlamento Europeu ao povo cubano "em seu avanço rumo à democracia e ao respeito às liberdades fundamentais".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host