UOL Notícias Notícias
 

12/03/2010 - 15h45

Israel fecha Cisjordânia e aumenta segurança na Esplanada das Mesquitas

Jerusalém, 12 mar (EFE).- Israel fechou o acesso a Cisjordânia durante o fim de semana e aumentou a segurança em torno da Esplanada das Mesquitas para prevenir revoltas palestinas como as ocorridas na sexta-feira passada em Jerusalém Oriental.

O Ministério da Defesa de Israel impôs na meia-noite desta quinta-feira um "fechamento geral" da Cisjordânia. O bloqueio segue até a meia-noite do sábado e impede o acesso dos palestinos ao território de Jerusalém Oriental.

A decisão foi anunciada de forma rotineira pelo governo. Essa é a primeira vez em cinco anos que o acesso à Cisjordânia é fechado sem que fosse motivado por uma festividade nacional ou alguma circunstância excepcional, como ocorreu em 2008 durante a visita do então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.

O posto de controle de Kalandia, um dos acessos à cidade de Ramala mais utilizados por quem vai a Jerusalém, quase não registrou atividade hoje assim como os outros 12 cruzamentos.

A decisão de fechar as fronteiras segue as indicações de relatórios da inteligência israelense que previam que grupos palestinos planejavam levar a cabo revoltas em torno da Esplanada das Mesquitas, na parte antiga da cidade de Jerusalém. No último mês, o local foi palco de diversos enfrentamentos entre a Polícia e jovens palestinos que jogavam pedras contra os oficiais.

Na última sexta-feira, os choques resultaram em cerca de oitenta feridos, entre eles duas dezenas de agente policiais.

Além de fechar a Cisjordânia, a Polícia restringiu o acesso à Esplanada das Mesquitas (terceiro lugar mais sagrado para o Islã) permitindo a entrada apenas de muçulmanos com passaporte israelense e, no caso dos homens, só daqueles maiores de 50 anos, informou à Agência Efe o porta-voz da Polícia israelense Miki Rosenfeld.

O governo israelense também reforçou a presença policial em Jerusalém Oriental. A medida, no entanto, não impediu que acontecessem alguns confrontos, ainda que bem menos graves do que os da semana passada.

"Graças aos limites de idade e ao policiamento, o dia transcorreu de forma bastante calma e não foram registrados distúrbios na Esplanada das Mesquitas", disse Rosenfeld.

"Houve alguns incidentes no bairro de Ras Al-Amud. Dois oficiais da Polícia ficaram levemente feridos e três palestinos foram detidos por atirar pedras", acrescentou o policial.

Testemunhas informaram que cerca de vinte jovens enfrentaram aproximadamente 60 policiais no bairro, enquanto em frente ao Museu de Rockefeller, vizinho a cidade velha, outras duas dezenas de palestinos confrontaram duas centenas de policiais.

A Polícia não usou gás lacrimogêneo nem bombas de efeito moral para dispersar os jovens, como ocorreu durante os fins-de-semana anteriores. Segundo o jornal "Ha'aretz", os jovens palestinos tentaram romper uma barreira policial para entrar na Cidade Antiga.

Além disso, a agência de notícias palestina "Ma'an" informou que as forças de segurança israelenses detiveram com pedaços de pau várias mulheres palestinas que tentavam atravessar os postos de controle instalados na Cidade Antiga, e que os residentes de Jerusalém Oriental ficaram proibidos de se juntar aos grupos durante todo o dia, especialmente na área de Ras Al-Amud.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host