UOL Notícias Notícias
 

18/03/2010 - 12h21

ONG alerta para grave situação de indígenas no sul do Brasil

Londres, 18 mar (EFE).- A organização Survival Internacional enviou à ONU um relatório no qual revela a dramática situação dos guaranis no sul do Brasil, onde a condição deles é uma das piores entre as de todos os povos indígenas da América.

Nesta quinta-feira, a ONG emitiu um comunicado no qual ressalta que, entre os guaranis, são registradas altas taxas de suicídio, desnutrição, alcoolismo e prisão injusta.

A nota diz ainda que, com frequência, os índios dessa tribo são perseguidos e assassinados por pistoleiros contratados por fazendeiros e criadores de gado que querem ocupar suas terras.

A apresentação do relatório da Survival coincide com a proximidade do Dia Internacional contra a Discriminação Racial, celebrado a cada 21 de março.

O documento, destaca o comunicado, aponta o desrespeito aos direitos territoriais dos indígenas como principal causa da situação enfrentada pelos guaranis.

Além disso, o relatório adverte que a crescente demanda por etanol como alternativa à gasolina diminuirá ainda mais a área reservada aos índios e piorará ainda mais sua situação.

Apesar de viverem em um dos estados mais ricos de uma das principais nações emergentes do mundo, muitos guaranis vivem na extrema pobreza, acrescenta o texto.

Alguns moram sob lonas ao lado de estradas. Outros vivem em reservas e dependem de ajudas do Governo.

"Estamos ficando impacientes com o atraso excessivo da demarcação territorial. Isso está nos matando lentamente e nos expondo ao genocídio", disse à ONG um índio guarani que vive na beira de uma rodovia e que viu três homens de sua tribo serem assassinados por matadores de aluguel.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host