UOL Notícias Notícias
 

18/03/2010 - 07h59

Parlamento da UE condena "brutalidade" contra Damas de Branco

Bruxelas, 18 mar (EFE).- O presidente do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, condenou hoje a "brutalidade policial" contra as Damas de Branco, grupo formado por mães, esposas e parentes de presos políticos de Cuba, e exigiu de Havana a "libertação imediata de todos" os dissidentes.

"Exijo que o Governo cubano pare de fustigar as pessoas que se manifestam pela liberdade", disse Buzek em uma nota sobre a atuação da Polícia cubana contra cerca de 30 integrantes das Damas de Branco, que ontem participavam de uma manifestação nos arredores da capital.

Em 2005, o grupo foi agraciado com o prêmio Sakharov para a Liberdade de Pensamento, entregue anualmente pelo Parlamento Europeu a defensores da liberdade e da democracia.

"Há quase cinco anos estamos esperando para entregar o prêmio às Damas de Branco, que continuam sem autorização para deixar o país", lamentou Buzek nesta quinta-feira.

O presidente do Parlamento Europeu também afirmou que, desde a morte de Orlando Zapata e em virtude do "alarmante estado" do jornalista Guillermo Fariñas, a instituição está "seriamente preocupada com a situação dos presos políticos em Cuba"
"Não podemos permitir outra morte em Cuba", destacou Buzek, que, em nome do Parlamento Europeu, voltou a pedir a "libertação imediata de todos os presos políticos".

"O Governo cubano deve respeitar as liberdades fundamentais, especialmente a liberdade de expressão e de associação política. É uma condição 'sine qua non' para que as relações com o país melhorem", assegurou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host