UOL Notícias Notícias
 
24/03/2010 - 14h47

Argentina compromete-se a combater impunidade no 35º aniversário da ditadura

Buenos Aires, 24 mar (EFE).- O Governo argentino renovou seu compromisso com o aprofundamento de um modelo que inclua políticas públicas contra a impunidade e a favor da vigência dos direitos humanos, no 35º aniversário nesta quinta-feira do golpe de Estado que deu início à última ditadura militar no país.

"Sigamos no caminho desta democracia ética e inclusiva, respeitosa de todos os direitos, com o povo e o Governo mancomunados, sem esquecer o passado infamador, construindo cidadania no presente e olhando para um futuro cada vez mais promissor", assegurou a presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner.

Em um aviso publicado por vários jornais de Buenos Aires, Cristina destacou as políticas públicas contra a impunidade aplicadas desde 2003, quando seu marido e antecessor, Néstor Kirchner, assumiu a Presidência.

"Desde 25 de maio de 2003, com a chegada de Kirchner à Presidência, as políticas públicas combateram a impunidade, recuperaram o valor ético do Estado e puseram em vigência os direitos humanos em todas suas dimensões", afirmou.

Ela assinalou que nesta nova Argentina "renascida de suas cinzas, os responsáveis pelos crimes contra a humanidade estão sendo julgados e condenados pelos tribunais competentes de todo o país".

O aviso aludiu também à cumplicidade de "alguns setores da sociedade" com a ditadura que teve início em 24 de março de 1976.

"Há 35 anos, as corporações econômicas, os setores civis subordinados a elas e os grandes meios de comunicação, conjuntamente com as Forças Armadas, tomaram os poderes do Estado para instaurar a ditadura terrorista mais cruel e homicida de toda a história nacional", afirmou.

Após lembrar os 30 mil desaparecidos desse período, Cristina ressaltou o papel das Mães e Avós da Praça de Maio na "busca da verdade e da justiça".

Organismos de direitos humanos e entidades sociais e políticas lembrarão nesta quinta-feira o Dia Nacional da Memória pela Verdade e a Justiça com múltiplas manifestações e atos nas principais cidades do país.

No entanto, nesta ano Cristina não deve participar de nenhuma das atividades programadas, já que viajará para El Calafate, no sul do país, para descansar.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host