UOL Notícias Notícias
 

26/03/2010 - 10h38

Legionários de Cristo admitem abusos cometidos por seu fundador

Roma, 26 mar (EFE).- A congregação religiosa Legionários de Cristo reconheceu hoje que seu fundador, Marcial Maciel Degollado, abusou sexualmente de seminaristas e teve três filhos com duas mulheres diferentes, motivo pelo qual decidiu pedir perdão a "todos os que foram prejudicados, feridos ou escandalizados por sua reprovável atuação".

"Pensávamos e esperávamos que as acusações apresentadas contra nosso fundador fossem falsas ou infundadas", mas não foi assim, por isso "não podemos olhar para a pessoa dele como modelo de vida cristã ou sacerdotal", escreveram os Legionários de Cristo em uma nota.

"Estamos profundamente consternados e temos que reconhecer que são verdadeiras as acusações contra o padre Maciel, entre as quais se incluem as de abusos sexuais contra seminaristas menores", acrescenta a nota, divulgada dez dias após o término da apuração minuciosa ordenada pelo papa nesta congregação.

Em um duro comunicado, no qual Maciel já não é mais chamado somente de padre, os legionários reconhecem que o sacerdote mexicano, nascido em 1920 e morto em 2008, teve uma filha "de uma relação estável e prolongada" com uma mulher e incorreu em "outros graves comportamentos", que não são especificados.

A nota acrescenta que outras duas pessoas afirmam que são filhas do sacerdote. Em resposta, os legionários escreveram: "Condenamos estes atos contrários ao dever cristão, religioso e sacerdotal da vida do padre Maciel e afirmamos que eles não correspondem à forma de viver da Legião e do Regnum Christi (os legionários laicos)".

"Expressamos mais uma vez nossa dor e pesar a todas e cada uma das pessoas que foram prejudicadas pelas ações de nosso fundador", destaca a congregação.

A Legião também pediu "perdão" a todas as pessoas que apresentaram denúncias no passado "e foram desacreditadas ou não foram ouvidas porque naquele momento ninguém podia imaginar esses comportamentos".

Em outro trecho do comunicado, os legionários asseguram que precisam expiar as faltas e o escândalo causado por Maciel e pedem a seus membros que intensifiquem suas preces.

"Aceitamos com dor que, perante a gravidade das faltas de Maciel, não podemos olhar para a pessoa dele como modelo de vida cristã ou sacerdotal", ressalta a nota.

Os legionários se comprometeram ainda a "oferecer segurança" aos menores em todas as suas instituições.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host