UOL Notícias Notícias
 

27/03/2010 - 13h51

Colombianos se preparam para operação de resgate de reféns das Farc

Ana Gómez.

Villavicencio (Colômbia), 27 mar (EFE).- A cidade de Villavicencio se prepara para o início das operações de libertação do primeiro dos dois reféns que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) vão entregar entre domingo e terça-feira em algum ponto da selva no sul da Colômbia.

A senadora da oposição Piedad Córdoba, mediadora perante as Farc, disse em seu perfil da rede social Twitter que uma aeronave brasileira partiu neste sábado de São Gabriel da Cachoeira (AM) em direção ao aeroporto de Villavicencio (Colômbia) por volta do meio-dia.

Durante a manhã de hoje, jornalistas, defensores dos direitos humanos, membros do Governo e curiosos fizeram fila no aeroporto Vanguardia para esperar a chegada da missão humanitária, que deve partir amanhã rumo ao ponto determinado pela guerrilha para fazer a entrega.

Apesar da tranquilidade reinar na cidade, um cordão de segurança com soldados e policiais do Exército colombiano foi montado ao redor do aeroporto para garantir o desenvolvimento satisfatório da operação.

A delegação, liderada por Córdoba, é formada por dois representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), o bispo de Magangué, Leonardo Gómez, e dois membros do ONG Colombianos e Colombianas pela Paz (CCP), Hernando Gómez e Ricardo Montenegro.

A previsão é de que o grupo resgate amanhã o soldado Josué Daniel Calvo. Ele está há 11 meses no cativeiro e, segundo as Farc, muito doente.

Se tudo correr como o planejado, na segunda ou na terça-feira o grupo seguirá o mesmo procedimento para a libertação do sargento Pablo Emilio Moncayo. Ele é um dos reféns que estão há mais tempo em poder da guerrilha - 12 anos no cativeiro.

As Farc divulgaram ontem um comunicado em que ratificam seu compromisso de libertar os dois militares e explicam que decidiram adiar a entrega dos restos do major da Polícia Julián Guevara, morto em cativeiro em 2006, pois o exército ocupa a área em que o corpo se encontra.

O Exército e a Polícia da Colômbia devem suspender por 36 horas a partir de hoje as operações na selva no sul do país para permitir a entrega de Calvo. Ele deve ser libertado entre às 18h (pelo horário local e às 20h de Brasília) de sábado e às 6h (8h de Brasília) de segunda-feira.

Após a libertação de Moncayo e Calvo, as Farc ainda mantêm em seu poder 22 militares que o grupo pretende trocar por 500 rebeldes presos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h50

    0,14
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h51

    -0,58
    63.715,83
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host