UOL Notícias Notícias
 

31/03/2010 - 15h25

Atual presidente do Iraque pede a Allawi que forme Governo não-sectário

Bagdá, 31 mar (EFE).- O presidente do Iraque, Jalal Talabani, se reuniu hoje com o líder da coalizão ganhadora das eleições do dia sete, Ayad Allawi, e pediu a formação de um Governo sem sectarismos e nacionalismos para o país.

Em entrevista coletiva junto a Allawi, o chefe de Estado árabe destacou a importância de que "as negociações efetuadas entre as distintas coalizões alcancem um consenso para formar um Governo que sirva a todos os iraquianos, longe de sectarismos e nacionalismos".

Por sua vez, Allawi, líder da coalizão "Al Iraqiya" (o iraquiano), disse que compartilha a visão de Talabani frente e pretende criar um executivo de consenso nacional que ajude na estabilização do país.

Ele acrescentou que analisou "a situação regional e a importância de fortalecer os laços com o Irã em todos os âmbitos sobre a base do respeito à soberania do Iraque".

Ao mesmo tempo, expressou estranheza pelo fato da sua coalizão não ter sido convidada pelas autoridades iranianas para visitar Teerã, tal como fizeram com as demais alianças políticas iraquianas.

"A Al Iraqiya esperava receber um convite para visitar Teerã depois das eleições legislativas, mas, até agora não recebeu nada", reprovou Allawi.

De qualquer maneira, o dirigente político lembrou que seu partido formará uma delegação para visitar em breve todos os países vizinhos, incluindo o Irã.

Ao ser questionado sobre as informações que indicam consultas entre a Aliança Nacional Iraquiana (ANI) e a governamental coalizão "Estado de Direito", liderada pelo atual primeiro-ministro, Nouri al-Maliki, Allawi advertiu que uma eventual união entre essas duas alianças traria o sectarismo político de novo ao país. Nesse sentido, lembrou que ele participou do pleito "para ajudar a pôr fim ao sectarismo político".

Também opinou sobre a chamada do bloco liderado pelo clérigo radical xiita, Moqtada al-Sadr, para realizar um referendo para que o povo vote pelo dirigente político que deseja como primeiro-ministro.

"Essa chamada é boa, mas ao mesmo tempo deve ser levada a cabo em conformidade com a Constituição", ressaltou Allawi.

Em mensagem à Comissão Suprema Eleitoral, o bloco de al-Sadr pediu na terça-feira passada que seja levado a cabo um referendo para que o eleitorado eleja como chefe de Governo entre al-Maliki, Allawi, o líder da ANI, Ibrahim al-Jaafari; o dirigente da ANI, Adel Abdel Mahdi e o candidato do "Estado de Direito", Yaafar Mohammed Sadr.

Por sua vez, Maliki adiantou hoje que as conversas levadas a cabo por sua aliança com outras plataformas políticas prosseguem, por enquanto, sem resultados, embora deva surgir, nos próximos dias, a aliança que formará o novo Executivo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h00

    -0,86
    3,255
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h04

    0,93
    63.813,73
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host