UOL Notícias Notícias
 

06/04/2010 - 16h18

UE e EUA pedem à Bósnia que continue com reformas pró-Europa

Sarajevo, 6 abr (EFE).- A União Europeia (UE), representada pelo ministro espanhol de Exteriores, Miguel Ángel Moratinos, e os Estados Unidos, através do subsecretário de Estado, Jim Steinberg, pediram hoje à Bósnia que continue com suas reformas para não ficar atrasada no caminho de adesão à UE.

Moratinos e Steinberg se reuniram com o trio presidencial bósnio, a chefia colegiada do país que é integrada por um muçulmano, um sérvio e um croata, e com o alto representante da comunidade internacional para Bósnia, Valentin Inzco, no início de uma visita de dois dias a Sarajevo
"A situação na Bósnia é inquietante e as eleições de outubro são uma oportunidade para que essa tendência mude", afirmou Inzco em um comunicado após o encontro.

Moratinos expressou o apoio da UE à Bósnia e pediu mais progressos do país em suas reformas pró-Europa.

O ministro espanhol anunciou a realização de uma conferência dedicada aos Bálcãs ocidentais, com a participação de representantes da UE e dos EUA no início de junho em Sarajevo.

O trio presidencial se mostrou preocupado com o "ceticismo" crescente na Bósnia com relação ao ingresso na UE e na Organização do Tratado do Atlântico Norte, após ressaltar que a integração plena com estas organizações é o principal objetivo do país.

Ele também considerou contra prudente o adiamento da adesão da Bósnia ao Plano de Ação da Aliança Atlântica.

Amanhã, Moratinos e Steinberg devem se reunir com os líderes dos principais partidos políticos muçulmanos, sérvios e croatas para abordar a situação e impulsionar um ambiente de diálogo na Bósnia, antes de se dirigir à imprensa ao término da visita.

A visita de Moratinos, representando a Presidência espanhola da UE, e Steinberg, o "número dois" da diplomacia dos Estados Unidos, faz parte de uma estratégia comum europeia e americana para favorecer a estabilidade na Bósnia e em toda a região dos Bálcãs.

Moratinos e Steinberg tentam conseguir que os líderes bósnios se comprometam a avançar nas reformas exigidas para entrar nas organizações, as vésperas das eleições gerais que serão realizadas em outubro na Bósnia.

Caso os encontros de hoje e amanhã tenham progressos, no final de abril poderia ser assinado na Espanha um documento em que os dirigentes da Bósnia se comprometem a efetuar as reformas constitucionais e outras que acelerem o caminho em direção a UE e a Otan depois das eleições.

 

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host