UOL Notícias Notícias
 

08/04/2010 - 21h40

Brasileira morta em Cancún não saiu de hotel, dizem funcionários

Cancún (México), 8 abr (EFE).- A brasileira Mônica Beresford-Redman, mulher do americano Bruce Beresford-Redman, produtor da série de TV "Survivor", não deixou o hotel de luxo da cidade mexicana de Cancún onde foi achada morta, afirmaram hoje funcionários do estabelecimento à Agência Efe.

"Ela nunca saiu do hotel, como declarou o marido, e todos nós sabemos disso. Os seguranças do único acesso que temos anotam tudo, quem entra, quem sai e em que veículos", disse um dos funcionários, que pediu o anonimato, à Efe.

"Além disso, temos câmeras de segurança por todos os lados nas áreas comuns", declarou a fonte.

Mônica estava desaparecida desde segunda-feira. Seu corpo foi encontrado nesta quinta-feira dentro de uma fossa séptica do hotel Moon Palace com sinais de estrangulamento.

O casal estava em Cancún na companhia de seus dois filhos para comemorar o 43ª aniversário dela.

A fossa onde o corpo foi achado fica a menos de 100 metros do quarto onde o casal estava hospedado.

Empregados do hotel declararam que, por causa do desaparecimento de uma hóspede em 2009, o hotel implantou fortes medidas de segurança.

Em junho do ano passado, a britânica Julia Howard, de 77 anos, foi dada como desaparecida por seus familiares. Julia foi vista pela última vez quando ia até seu quarto para buscar um chapéu.

Semanas mais tarde, o cadáver da britânica foi encontrado em uma área de manguezal a cerca de cinco quilômetros do hotel.

Para entrar ou sair do hotel, que tem mais de dois mil quartos, os veículos são revistados, seus dados são anotados e os motoristas devem entregar identificações.

Quando as autoridades comprovaram que não havia registros da saída de Mônica do hotel, as buscas se concentraram no interior do complexo hoteleiro.

Desde cedo, uma equipe formada por pessoal de segurança pública, da Polícia Judiciária, da Defesa Civil e da Cruz Vermelha, além de bombeiros, chegou ao hotel.

O corpo de Mônica foi encontrado às 10h (horário local). De imediato, as atenções se voltaram para o marido da brasileira.

Após o desaparecimento da esposa, Bruce Beresford-Redman pediu a intervenção das autoridades para achá-la. Então, ele disse que ela tinha saído do hotel em um táxi para fazer compras.

No entanto, antes disso, Bruce tinha dito que havia visto Mônica pela última vez quando saiu do quarto para ir ao spa.

Segundo policiais, há inconsistências nas declarações de Bruce, que tem marcas de arranhões no pescoço e até agora é o único suspeito do crime.

Durante seu depoimento às autoridades de Cancún, o produtor esteve acompanhado por funcionários do consulado dos Estados Unidos.

Fontes da Procuradoria local afirmaram que o consulado fez pressões para que o produtor não fosse apresentado à imprensa como um criminoso comum.

A Procuradoria conta com o depoimento de um empregado do hotel o qual garante ter visto o casal discutir na noite de domingo. O mesmo funcionário disse inclusive ter visto Bruce agredir Mônica fisicamente.

Segundo a Polícia, Bruce tentou esconder seus arranhões e ferimentos com as roupas que vestia.

Funcionários do hotel comentaram também que o cadáver de Mônica apresenta marcas e lesões no pescoço e na cabeça, algo que é característico de uma pessoa que tentou se defender de um ataque.

O casal deveria voltar hoje para os Estados Unidos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    $date.format("HH'h'mm", $data)

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host