UOL Notícias Notícias
 

09/04/2010 - 06h13

Netanyahu não vai participar de cúpula nuclear por medo de "emboscada"

Jerusalém, 9 abr (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, não participará da cúpula sobre segurança nuclear, que será realizada nos próximos dias 12 e 13 de abril (segunda e terça-feira) em Washington por temer uma "emboscada" de países vizinhos que também estão convidados.

"Nos últimos dias tivemos informação que há alguns interessados em aproveitar a cúpula para atacar Israel, e por isso o primeiro-ministro decidiu não participar", disse à agência Efe uma fonte do Governo israelense.

A decisão foi tomada por Netanyahu após reunião com sua equipe no final da noite de quinta-feira. Segundo o jornal "Yedioth Aharon", informações que chegaram a Israel dão conta de que vários países árabes e muçulmanos também convidados têm a intenção de exigir a Washington a inclusão de Israel no Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP).

A fonte não confirmou à Efe se se tratam de países ou de organizações internacionais, e se limitou a insistir que há "interessados em atacar a Israel em relação ao TNP" e por isso o primeiro-minustro "decidiu não participar".

No passado, países vizinhos como Egito e Turquia exigiram que Israel também seja colocado sob controle da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). O Governo de Netanyahu teme que a reivindicação volte a surgir e que o presidente americano, Barack Obama, a respalde de alguma maneira.

"Desejávamos muito participar. Nós estamos a favor dos princípios da cúpula, que é a segurança em torno de instalações nucleares e evitar que materiais nucleares caiam em mãos de terroristas", afirmou a fonte.

Israel, que mantém há décadas uma política de ambiguidade em assuntos relacionados com este tipo de arsenais, poderia ter entre 200 e 300 ogivas nucleares, segundo especialistas.

Em lugar do chefe do Governo, participará da cúpula o vice-primeiro-ministro e ministro israelense de Serviços de Inteligência, Dan Meridor, assim como o diretor da Agência Israelense para a Energia Atômica, Shaul Horev, e o assessor de Segurança Nacional de Netanyahu, Uzi Arad.

A reunião de Washington foi convocada por iniciativa de Obama e reunirá líderes e delegações de 47 países, que devem se comprometer a tomar medidas específicas para garantir a segurança de todos os materiais nucleares vulneráveis em um prazo de quatro anos, disse Obama após a apresentação da Revisão da Postura Nuclear dos EUA, na terça-feira passada.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host