UOL Notícias Notícias
 

10/04/2010 - 21h05

Putin diz que Moscou está pronta para atender famílias das vítimas

Moscou, 11 abr (EFE).- O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, comprovou hoje que tudo está pronto em Moscou para atender as famílias das vítimas do acidente aéreo no qual morreram o presidente da Polônia, Lech Kaczynski, e outros dirigentes poloneses.

Da cidade ocidental russa de Smolensk, onde neste sábado ocorreu a tragédia que tirou a vida de 97 pessoas, Putin na presença de seu colega polonês, Donald Tusk, se comunicou por videoconferência com funcionários vários organismos russos.

Piotr Buriukov, vice-prefeito da capital, informou que a Prefeitura reservou 450 vagas de hotel e meios de transporte para os familiares das vítimas, que já começam a chegar a Moscou para identificar os corpos, segundo a agência "Interfax".

Além disso, foram reservados ônibus em todos os aeroportos da cidade e formadas equipes de tradutores e de especialistas prontos para atender os que precisem de assistência médica ou psicológica.

O vce-prefeito assegurou a Putin e Tusk que o Governo russo mobilizou médicos legistas e ressaltou que a Prefeitura assumirá todas as despesas para receber os familiares das vítimas, incluídos hotéis, alimentação, transporte e assistência médica.

Putin também se comunicou com o aeroporto Domodedovo de Moscou, onde lhe confirmaram que estavam descarregando o primeiro dos dois helicópteros de transporte que chegaram de Smolensk com os corpos dos que morreram na catástrofe aérea.

A ministra da Saúde, Tatiana Golikova, informou a Tusk e a Putin que todos os corpos serão levados ao escritório legista central russo, onde vão acontecer todas as tarefas de identificação das vítimas.

Os familiares procedentes da Polônia serão acompanhados o tempo todo de médicos e psicólogos prontos para atendê-los em caso de necessidade, asseverou.

Putin lembrou à ministra que no domingo também começarão a chegar a Moscou e Smolensk especialistas poloneses que junto com os russos averiguarão as causas e circunstâncias da catástrofe aérea, e ordenou prestar-lhes toda a ajuda que precisarem.

Kaczynski, sua esposa Maria e vários altos cargos e políticos poloneses viajavam no avião para Smolensk para prestar homenagem às vítimas do massacre de Katy, onde cerca de 20 mil soldados, oficiais e civis poloneses foram executados em 1940 por ordem de Stalin.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host