UOL Notícias Notícias
 

11/04/2010 - 01h28

"Camisas vermelhas" rejeitam dialogar com o Governo tailandês

Bangcoc, 11 abr (EFE).- Os "camisas vermelhas" leais ao deposto ex-primeiro-ministro tailandês Thaksin Shinawatra rejeitaram hoje negociar com o Governo após os confrontos de ontem à noite entre ativistas e soldados, que deixaram um saldo de 18 mortos e 825 feridos em Bangcoc.

"Nunca falaremos com assassinos, temos a obrigação moral com quem morreu de devolver a democracia a este país", afirmou Jatuporn Prompan, um dos líderes da Frente Unida para a Democracia e contra a Ditadura, organizadora dos protestos.

Milhares de manifestantes continuam perto de onde aconteceram os combates de rua, que deixaram um rastro de cartuchos de bala, veículos destroçados e poças de sangue.

Quando o Exército se retirou, os "camisas vermelhas" destroçaram os veículos militares e tomaram para si vários fuzis e munição, que brandiram em sinal de vitória.

"Eu gostaria de dizer que o Exército só está autorizado a utilizar munição real para disparar para o ar ou em caso de autodefesa", afirmou o primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva em mensagem transmitida pela televisão.

A Tailândia continua imersa em uma profunda crise política por causa da divisão entre partidários e opositores desde o golpe de estado que derrubou em 2006 o milionário Shinawatra.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host