UOL Notícias Notícias
 

12/04/2010 - 10h19

Lula volta a culpar Governos anteriores por tragédia das chuvas

Rio de Janeiro, 12 abr (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje que seu Governo fará o máximo possível para ajudar as vítimas das chuvas que castigaram o estado do Rio de Janeiro e que causaram pelo menos 229 mortos, e insistiu em responsabilizar Governos anteriores pela tragédia.

"O Governo vem dizendo faz algum tempo que nos anos anteriores houve muita irresponsabilidade em permitir que as pessoas construíssem suas casas em lugares inadequados", assegurou hoje o presidente em seu programa semanal de rádio "Café com o Presidente".

Segundo ele, as autoridades permitiram que milhares de pessoas construíssem casas em cima de depósitos de lixo, em morros, à margem de rios e em outros locais de alto risco.

"Tudo o que podia ter sido evitado desde o início foi deixado, seguramente por razões políticas. Quando aconteceu uma chuva dessas vimos a catástrofe que ocorreu no Rio de Janeiro", criticou Lula.

O Governo do Rio de Janeiro anunciou ontem que investirá R$ 1 bilhão na construção de moradias para as pessoas que perderam os lares por causa dos deslizamentos de terra provocados pelas chuvas e para as que vivem em áreas de risco e deverão ser removidas.

Já a Prefeitura do Rio de Janeiro disse que desalojará nos próximos dias cerca de 4 mil famílias que vivem em oito bairros consideradas de risco iminente e que concederá um subsídio para que essas pessoas possam alugar moradias enquanto são construídas novas casas.

As autoridades regionais calculam que as fortes chuvas da semana passada em diferentes municípios do Rio deixaram cerca de 50 mil desabrigados, mas ainda não está claro quantos perderam suas casas e deverão ser removidos e quantos poderão retornar a seus lares.

Lula assegurou que o Governo Federal fará todo o possível para ajudar os desabrigados. Entre as medidas, está o benefício a pelo menos 4 mil das famílias desabrigadas do programa Minha Casa, Minha Vida, que prevê construção de casas populares.

"Faremos tudo o que for necessário. Nesses momentos não há limite de ajuda, não há limite de solidariedade. Faremos tudo o que for necessário para reparar o que ocorreu no Rio de Janeiro", afirmou.

Ele acrescentou que seu Governo já destinou R$ 200 milhões para medidas de emergência de atendimento aos desabrigados.

Para o presidente, é necessário agora esperar que pare de chover no Rio para se fazer um levantamento das perdas.

"Por enquanto só posso dizer que o povo brasileiro está entristecido com o que ocorreu no Rio e continuar pedindo a Deus e rezando muito para que pare de chover e o Rio possa voltar à normalidade", acrescentou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host