UOL Notícias Notícias
 

12/04/2010 - 06h06

Presidente deposto do Quirguistão diz que se tentarem detê-lo correrá sangue

Moscou, 12 abr (EFE).- O presidente derrubado do Quirguistão, Kurmanbek Bakiev, advertiu hoje que se o novo Governo de confiança popular tentar detê-lo, haverá um derramamento de sangue, informou a agência russa "Interfax".

Na primeira aparição em público do presidente deposto desde que abandonou a capital quirguiz na quarta-feira passada, Bakiev estava acompanhado por seus familiares mais próximos, entre eles seu irmão Dzhanibek, chefe de segurança do presidente.

O primeiro vice-ministro do novo Governo, Almazbek Atambayev, assinalou que as novas autoridades não reconhecem a legitimidade de Bakiev e anunciou que preparam uma operação especial para sua detenção, embora tenha ressaltado que não querem "que corra ainda mais sangue".

Acrescentou que Bakiev não é popular na região de Jalal-Abad e que inclusive ali "estão dispostos a dar-lhe um pontapé".

"Mas não queremos que morra gente inocente", ressaltou Atambayev, acrescentando que o presidente deposto está protegido por gente armada.

Além disso, assinalou que "ninguém votou em Bakiev" e que sua família atuou "à margem da lei".

"Se alguém considera que as eleições presidenciais (do dia 23 de julho de 2009) foram legais e legítimas, que consulte o relatório da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa", no qual se conclui que não corresponderam aos padrões democráticos, acrescentou.

O comício de apoio ao presidente derrubado reuniu cerca de mil pessoas, principalmente mulheres adultas e de média idade que gritam "Bakiev, nosso presidente".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host