UOL Notícias Notícias
 

19/04/2010 - 03h56

Marinha vai repatriar britânicos que não conseguem voltar por causa de vulcão

Londres, 19 abr (EFE).- Navios da Marinha britânica recuperarão os cidadãos do Reino Unido que não podem retornar ao país por culpa do fechamento do espaço aéreo desde a quinta-feira após a erupção de um vulcão na Islândia.

Os aeroportos britânicos ficam fechados hoje pelo menos até as 16h (horário de Brasília).

Os jornais se referem a esse plano como um segundo Dunkerque, a urgente evacuação do Exército anglo-francês por 32 navios de guerra britânicos e centenas de embarcações auxiliares em 1940.

Segundo o responsável de Segurança do Governo, lorde West, nesta operação poderiam ser utilizados além disso navios comerciais e embarcações anfíbias.

A estratégia do resgate está sendo elaborada no número 10 de Downing Street, afirma hoje o "Daily Mail", segundo o qual o Governo decidiu atuar depois que a oposição conservadora revelou seu próprio plano, que também envolvia a Marinha.

O ministro para a Empresa, Peter Mandelson, explicou à imprensa que o chefe de Governo, Gordon Brown, convocou para hoje uma reunião do comitê de emergência Cobra na qual se estudará a possibilidade de repatriar os britânicos que estão nos Estados Unidos e outros lugares de ultramar através da Espanha.

Os viajantes seriam transportados primeiro para a Península Ibérica, onde todo tipo de navios os recolheriam para levá-los até portos ingleses.

O Primeiro-ministro, que quer evitar que o país se afunde em uma crise econômica ainda mais profunda por culpa das perdas relacionadas com o fechamento de seu espaço aéreo, explicou que as companhias aéreas poderiam reivindicar compensação do "fundo de solidariedade" da União Europeia.

Enquanto isso, o presidente da British Airways, Willie Walsh, mandou decolar este fim de semana um de seus aviões com ele mesmo a bordo para analisar os possíveis efeitos das cinzas vulcânicas, informam hoje vários meios de imprensa.

Walsh e quatro tripulantes realizaram um voo de três horas pelo Atlântico após decolar de Londres para aterrissar depois em Cardiff (Gales).

"As condições eram perfeitas e o avião não encontrou dificuldade alguma", afirmou um porta-voz da companhia aérea britânica.

A British Airways estudará hoje nesse aeroporto o impacto do voo nos motores da aeronave para determinar se é seguro voar ou não enquanto continua a erupção do vulcão islandês.

Outras companhias, como a alemã Lufthansa ou a holandesa KLM, também fizeram voos de teste com a devido permissão das autoridades de seus respectivos países e não apreciaram dano algum nos motores dos aviões utilizados.

Ontem à noite, a companhia de voos baratos Ryanair anunciou o cancelamento até a meia-noite de terça-feira de todos seus voos para Irlanda, Dinamarca, Finlândia, Noruega, Suécia, Bélgica, Holanda, França, Alemanha, Polônia e as Repúblicas Bálticas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,84
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,35
    68.594,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host