UOL Notícias Notícias
 

25/04/2010 - 01h08

Governo tailandês anuncia que se prepara para resolver a crise

Bangcoc, 25 abr (EFE).- O primeiro-ministro da Tailândia, Abhisit Vejjajiva, assegurou hoje que seu Governo se prepara para recuperar o controle do coração de Bangcoc, ocupado há três semanas por milhares de manifestantes que exigem a dissolução do Parlamento.

No dia seguinte de rejeitar o prazo de 30 dias dado pelos chamados "camisas vermelhas" para dissolver o Legislativo, o primeiro-ministro se dirigiu aos tailandeses pela televisão para reafirmar que seu Governo procura uma saída para a crise.

"O processo para solucioná-la está em andamento e não agrada a todos. O Governo e não somente os militares, prepara-se para a etapa seguinte", disse o governante tailandês sem dar mais detalhes.

Vejjajiva disse durante seu discurso, que a ocupação do coração comercial da capital tailandesa pelos "camisas vermelhas" é parte do complexo problema político que afeta o país.

"Nosso objetivo é recuperar a normalidade, por isso que o Governo examina todos os possíveis movimentos dos camisas vermelhas antes de atuar para resolver o problema", acrescentou.

O chefe do Exército, general Anupong Paochinda, assegurou que nas Forças Armadas não há atritos motivados por inclinações políticas, embora tenha confirmado que "alguns soldados na ativa e reformados tenham tomado parte nas manifestações e usado armas para atacar as forças de segurança".

Em seu comparecimento junto com o primeiro-ministro, o general Paochinda, responsável da segurança em Bangcoc, assinalou que o Exército e a Polícia se centram agora em identificar e deter os "camisas vermelhas" que escondem armas de fogo.

"Há alguns problemas individuais, mas não são significativos. A instituição militar permanece sólida", apontou o chefe do Exército.

O discurso televisado de primeiro-ministro e do chefe do Exército, gravado no dia anterior, foi interrompido poucos minutos depois de ter começado, aparentemente por causa do bloqueio do sinal, disse o ministro de Telecomunicações, Sathit Wongnongtoey.

A oferta dos chamados "camisas vermelhas, que montaram no coração da cosmopolita Bangcoc um acampamento que sintoniza com o meio rural do qual procede a maioria deles, consistia em pôr fim à invasão em troca de o Executivo dissolver o Legislativo em 30 dias, e já não imediatamente como antes exigiam.

Vejjajiva considerou "inaceitável" a proposta dos "camisas vermelhas", a quem acusou de usar "violência e intimidação" durante os protestos que causaram 26 mortos e mais de mil feridos em menos de um mês.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h40

    0,05
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h44

    0,54
    62.998,59
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host