UOL Notícias Notícias
 

25/04/2010 - 14h23

Irã confirma que não deve concorrer ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Teerã, 25 abr (EFE).- O Irã confirmou hoje a decisão de não concorrer a uma poltrona no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas e se justificou dizendo que prefere buscar um posto no organismo de defesa dos direitos da mulher.

Em declarações divulgadas pela imprensa local, o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast, assegurou que ambas decisões foram tomaram "de forma colegiada com o grupo de países asiáticos".

"O Irã decidiu reconsiderar sua candidatura ao Conselho de Direitos Humanos para poder assim conseguir um assento no válido e influente Conselho de Direitos da Mulher", argumentou.

"Teerã retirou sua candidatura para que outro estado da Ásia tenha maiores oportunidades de ser votado, e parece que Tailândia é a opção", acrescentou, citado pela agência de notícias "Ilna".

Os Estados Unidos parabenizou a decisão do Irã de desistir de um dos quatro assentos que a Ásia tem no Conselho formado por 47 países. O organismo é encarregado de supervisionar o cumprimento dos direitos fundamentais em todo o planeta.

A decisão foi igualmente aplaudida pela organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW), para quem a decisão corresponde à "crescente oposição global" rumo à política de Direitos Humanos do Irã.

A HRW criticou reiteradamente o sistema de eleição dos membros do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, dividido em cinco grupos regionais.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h09

    -0,30
    3,159
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h20

    1,41
    69.605,71
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host