UOL Notícias Notícias
 

27/04/2010 - 12h18

Parlamentos de Rússia e Ucrânia ratificam acordo sobre base naval

(corrige nome de cidade no 13º parágrafo) Kiev/Moscou, 27 abr (EFE).- Os Parlamentos da Ucrânia e Rússia ratificaram nesta terça-feira um acordo bilateral para prolongar por 25 anos a permanência da Frota russa no Mar Negro no porto ucraniano de Sevastopol.

O acordo, assinado no último dia 21 pelos presidentes da Ucrânia, Viktor Yanukovich, e Rússia, Dmitri Medvedev, garante a permanência da base naval russa em território ucraniano até 2042, com opção de prorrogação por outros cinco anos.

Imediatamente após o anúncio da aprovação pela Rada Suprema (Parlamento da Ucrânia), deputados do Partido das Regiões (governista) e do opositor Bloco, de Yulia Timoshenko, iniciaram uma briga.

Pelo menos três bombas de fumaça foram lançadas em direção à mesa da Presidência da Rada e da tribuna reservada para os membros do Gabinete de Ministros, onde ao início da sessão já tinham sido registrados conflitos.

Além disso, duas bombas de fumaça obrigaram vários deputados a abandonar a sala, já que a abertura das portas não ajudou a ventilar o recinto.

Vários opositores lançaram ovos contra o presidente da Rada, Vladimir Litvin, que se protegeu com um guarda-chuva, segundo agências locais.

Para que o acordo ficasse ratificado, pelo menos 226 dos 450 legisladores do Parlamento unicameral ucraniano deviam se pronunciar a favor, o que foi feito por 236.

Enquanto isso, no exterior houve manifestações de milhares de pessoas, partidários e adversários do pacto com a Rússia.

A sessão da Rada Suprema começou às 10h pelo horário local (4h em Brasília), e aconteceu simultaneamente à da Duma do Estado (Câmara dos Deputados da Rússia) em Moscou, que transcorreu com absoluta normalidade.

Como já era esperado, a Duma também ratificou sem problemas o acordo.

Antes de realizar sua votação, a Duma recebeu com aplausos o anúncio da ratificação por parte do Parlamento ucraniano.

A assinatura do acordo com a Rússia valeu para a Ucrânia um desconto de 30% na compra do gás natural russo, que as autoridades ucranianas avaliaram em aproximadamente US$ 40 bilhões.

A oposição ucraniana tinha convocado um boicote ao acordo sobre a base naval, assinado na cidade ucraniana de Carcóvia pelos presidentes dos dois países, por considerá-lo inconstitucional e atentatório contra a soberania do país.

"Estou convencido de que agora a sociedade e as forças políticas devem ter consciência de que é preciso defender a Ucrânia", disse a ex-primeira-ministra e líder da oposição, Yulia Timoshenko, após a assinatura.

A Frota russa do Mar Negro inclui meia centena de navios de guerra - encouraçados, fragatas, submarinos e navios varredores - e quase uma centena de aviões, enquanto a base de Sevastopol hospeda 18,5 mil soldados, entre militares e técnicos, além de seus familiares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host