UOL Notícias Notícias
 

03/05/2010 - 20h41

Arias tentará convencer Brasil a reconhecer Governo hondurenho

San José, 3 mai (EFE).- O presidente da Costa Rica, Óscar Arias, disse hoje que vai tentar convencer o Brasil a reconhecer o atual Governo hondurenho, presidido por Porfirio Lobo e eleito no ano passado em meio à crise decorrente do golpe de Estado que derrubou Manuel Zelaya em junho de 2009.

Arias aproveitou a visita feita por Lobo hoje a San José para adiantar que, inicialmente, tentará convencer México e Brasil a reconhecer o Governo hondurenho, já que "abririam caminho" para um reconhecimento maior por causa da liderança que exercem na América Latina.

O presidente da Costa Rica considerou "inaceitável" que alguns países latino-americanos não tenham reconhecido o Executivo de Lobo e assegurou que continuará defendendo o reconhecimento do Governo de Honduras mesmo depois do final de seu mandato, que termina no próximo sábado.

Arias disse que conversará com seu colega mexicano, Felipe Calderón, no próximo dia 8, durante a cerimônia de posse da nova governante costarriquenha, Laura Chinchila, e que tentará falar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com quem disse ter "uma boa amizade".

Lobo destacou que, nos três meses na Presidência hondurenha, conseguiu restabelecer as relações com alguns países amigos, o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Arias e Lobo também comemoraram hoje o estabelecimento da Comissão da Verdade em Honduras, que a partir desta terça-feira analisará os acontecimentos relacionados ao golpe de Estado ocorrido em junho de 2009.

Lobo visitou hoje San José para "agradecer" o colega da Costa Rica por sua mediação no conflito hondurenho e analisar outros assuntos.

"Quero parabenizá-lo porque amanhã começa a Comissão da Verdade", disse Arias, que tentou, sem sucesso, reverter o golpe de Estado por meio de um pacto entre as partes que ganhou o nome de Acordo de San José.

Para o presidente costarriquenho, o processo da Comissão da Verdade vai ser "talvez doloroso para o povo hondurenho", mas "indispensável".

"Isto foi parte do Acordo de San José e, depois do que aconteceu em Honduras, é indispensável que esta Comissão aprofunde as causas do golpe militar" que derrubou Manuel Zelaya, expressou Arias.

Lobo agradeceu seu colega por "seu esforço e contribuição ao restabelecimento da harmonia em Honduras".

O presidente hondurenho explicou que um dos objetivos da visita de hoje era convidar Arias para a instalação da Comissão, algo que não será possível por motivos de agenda do governante costarriquenho.

"Amanhã cumprimos com a parte que corresponde a este Governo, que é a instalação da Comissão da Verdade", disse Lobo, para quem "não pode haver reconciliação se a verdade não for conhecida".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host