UOL Notícias Notícias
 

06/05/2010 - 14h15

Governo ganha eleições e aumenta vantagem sobre oposição

Johanesburgo, 6 mai (EFE).- A Aliança do Futuro, do primeiro-ministro, Navin Ramgoolam, ganhou o pleito geral realizado ontem nas Ilhas Maurício e aumentou sua vantagem sobre o partido opositor Aliança do Coração, liderada por Paul Berenger, segundo os resultados divulgados hoje pelo escritório da comissão eleitoral.

Por estes resultados, ainda não definitivos, a Aliança do Futuro, liderada pelo social-democrata Partido Trabalhista de Maurício (MLP), de Ramgoolam, obteria 41 cadeiras, três a mais do que as 38 com os quais governou nos últimos cinco anos.

Berenger, líder da Aliança do Coração, lidera pelo partido do socialista Movimento Militante Mauriciano (MMM), obteve 18 deputados dos 62 escolhidos nos 21 distritos do país e, embora obtivesse os oito que se adjudicam aos candidatos perdedores mais votados, ficaria em minoria em uma câmara de 70 cadeiras.

O próprio Berenger, como informou o jornal local "L'Express" em seu site, admitiu a derrota de sua formação em nível nacional, embora tenha afirmado que seguirão a luta nas administrações locais, que também foram eleitas no pleito de ontem.

Em qualquer caso, Berenger acusou o Governo de ter utilizado a televisão e outros meios de comunicação do Estado em seu favor e disse que o pleito "não foi justo e livre", embora tenha confirmado que não faria chamadas para dividir à nação.

As eleições na República de Maurício, um país de 2.045 quilômetros quadrados e 1,3 milhão habitantes ocorreram ontem, com 880 mil eleitores convocados às urnas dos quais 80% exerceram seu direito ao voto, segundo a comissão eleitoral.

No pleito, 529 candidatos concorreram e 104 foram rechaçados por não querer declarar o grupo de população ao qual pertencem, ao considerá-lo um requisito discriminatório, em um país onde há quatro grupos oficiais: hindus, muçulmanos, chineses e o restante da população.

Ramgoolam, o atual primeiro-ministro, que seguirá outros cinco anos no poder, liderou o Executivo entre 1995 e 2000, ano no qual foi derrotado pela aliança que liderava Berenger, que dirigiu o Governo de 2000 até 2005, em que aconteceu uma nova alternância.

Um total de 130 observadores estrangeiros, entre eles integrantes da União Africana (UA) e a Comunidade para o Desenvolvimento da África Meridional (SADC, na sigla em inglês), assistiram às eleições, nas quais não foram denunciados incidentes importantes.

As Ilhas Maurício, que não tem Forças Armadas, têm uma grande estabilidade política e sua economia é exemplar dentro do entorno africano, com uma renda per capita de mais de US$ 12,5 mil.

O país obteve a independência de Grã-Bretanha em 1968 e celebrou sua primeira eleição em 1976 e, desde então, as mudanças de Governo se produziram pela via eleitoral e constitucional.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host