UOL Notícias Notícias
 

07/05/2010 - 18h54

Unasul cria Centro de Estudos Estratégicos

Quito, 7 mai (EFE).- O Conselho de Defesa Sul-Americano (CDS) dos países da União de Nações Sul-americanas determinou hoje a criação de um Centro de Estudos Estratégicos de assessoria para os ministros da Defesa da região e aprovou os mecanismos para colocar em prática um conjunto de medidas de confiança e segurança militar.

Os ministros da Unasul, reunidos na cidade equatoriana de Guayaquil desde ontem, terminaram hoje "todo um processo que começou com uma situação conflituosa" e aprovaram, em "um passo inédito e extraordinário" de integração, medidas para fortalecer a confiança militar, afirmou o ministro equatoriano de Defesa, Javier Ponce.

Ponce se referiu assim ao debate que surgiu no seio da Unasul em torno da presença americana em bases militares colombianas, que preocupa vários países da região.

"Esse tema tomou um rumo muito interessante na medida em que os ministros de (Relações) Exteriores e Defesa aprovaram medidas de confiança mútua" e "os procedimentos para que essas medidas não fiquem apenas em palavras", ressaltou Ponce ao site "Ecuadorinmediato".

Entre as medidas mais relevantes destacou "a transparência da informação sobre as capacidades de defesa dos países, os orçamentos, a infraestrutura" e os acordos com países de fora da região.

Nesse sentido, em comunicado, o Ministério da Defesa do Equador, país que ostenta a presidência temporária da Unasul, informou que foi criado um grupo de trabalho dedicado ao desenho da metodologia de transparência e de medição das despesas em defesa, que ficará a cargo do Chile e da Argentina.

Além disso, esses dois países receberam a incumbência de elaborar propostas para incluir na agenda da IX Conferência de ministros da Defesa das Américas, cuja realização está prevista para novembro na Bolívia.

Ponce também ressaltou a importância da "criação definitiva" do Centro de Estudos Estratégicos, que terá como sede Buenos Aires e que, segundo disse, "vai a avançar notavelmente nos estudos que permitam os ministros da Defesa tomar resoluções no futuro" no seio do Conselho.

Além disso, ressaltou a decisão adotada na reunião de criar uma Secretaria Técnica do CDS "que ajude os países que exercem a Presidência temporária (da Unasul) a manter uma continuidade e permanência na ação".

O ministro equatoriano disse que o convênio não tratou das controvérsias geradas pela postura da Colômbia em outras reuniões a respeito de seu acordo com os Estados Unidos, embora o chamado Livro Branco da Força Aérea americana tenha sido citado.

A Venezuela denunciou em agosto, na cúpula de líderes da Unasul da cidade argentina de Bariloche, que esse relatório suporia uma suposta prova da pretensão hegemônica dos Estados Unidos na região.

Nesse sentido, o CDS decidiu pela criação de outro grupo de trabalho para fazer "uma análise objetiva e muito técnica dos conteúdos do documento" que, segundo o acordo com Ponce, será integrado por representantes do Equador, Colômbia, Venezuela, Argentina e Brasil.

Além disso, precisou que apesar do hermetismo que rodeou a assinatura de seu convênio com os Estados Unidos, a "Colômbia aceitou totalmente as medidas de confiança mútua".

A reunião concluiu com a "Declaração de Guayaquil", na qual se destacou "a decisão de contribuir para o fortalecimento da paz na região, através do diálogo e da cooperação" e se reafirmou "o irrestrito respeito à soberania, integridade e inviolabilidade territorial dos Estados e a não ingerência em assuntos internos".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    -0,16
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h49

    0,51
    69.068,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host