UOL Notícias Notícias
 

12/05/2010 - 11h52

África do Sul nunca mais será a mesma depois da Copa, diz presidente Zuma

Johanesburgo, 12 mai (EFE).- O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, garantiu hoje em discurso na Assembleia Nacional, transmitido ao vivo pela televisão pública, que a África do Sul nunca mais será a mesma após a Copa do Mundo de 2010.

"Nosso país nunca voltará a ser o mesmo graças ao Mundial", assegurou Zuma. "A paisagem está mudando para melhor. O torneio nos deixará um legado durável para as gerações futuras".

O presidente sul-africano reiterou que os preparativos para a realização do maior evento do futebol seguem o ritmo que se tinha previsto e que os diferentes departamentos do Governo que deram garantias à Fifa cumpriram todos os prazos estabelecidos.

Mas para ele, o que realmente importa é a herança que o campeonato deixará ao povo sul-africano, que contará com uma Polícia mais bem equipada, serviços de emergência mais avançados e sistemas de imigração e saúde modernizados.

Zuma falou também sobre aspectos intangíveis, de difícil medição, como a onda de patriotismo e orgulho nacional que a Copa está promovendo na população local.

"Nossa bandeira nacional é mais visível que antes", disse Zuma primeiro em inglês e depois discursou em zulu.

O presidente assegurou que a imagem internacional da África do Sul melhorou, segundo as informações do Sistema de Informação e Comunicação do Governo, que realizou um estudo em 29 países constatando a melhora da percepção externa do país depois de sediar a Copa das Confederações do ano passado.

Até 65% dos entrevistados no exterior veem com bons olhos a realização do Mundial na África do Sul, assegurou Zuma, número que sobe para 85% entre os sul-africanos.

A segurança, a maior dor de cabeça do Governo para a realização da Copa, também foi abordada no discurso de Zuma. "Temos um plano completo de segurança, que inclui as ameaças terroristas, o vandalismo e o crime comum", assinalou.

"Trabalhando juntos, organizaremos um torneio memorável, como fizemos com muitos outros grandes eventos internacionais, como o Mundial de rugby e de críquete", assegurou.

Zuma concluiu pedindo hospitalidade aos cidadãos e apoio cego à seleção nacional, assim como ao resto dos participantes africanos. Ele também agradeceu aos ex-líderes sul-africanos Nelson Mandela e Thabo Mbeki pelos esforços realizados para conseguir que o país sediasse a Copa.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host