UOL Notícias Notícias
 
15/05/2010 - 07h01 / Atualizada 15/05/2010 - 07h14

Clegg diz que coalizão com conservadores "incomodou", mas valeu a pena

Londres, 15 mai (EFE).- O vice-primeiro-ministro britânico e líder do partido Liberal-Democrata, Nick Clegg, admitiu em artigo publicado neste sábado pelo jornal "The Guardian" que o acordo para governar em coalizão com os conservadores incomodou e causou surpresa em setores de seu partido, mas assinala que valeu a pena.

"Sei que o nascimento desta coalizão causou uma grande surpresa e incomodou. Há pessoas que, tanto na direita como na esquerda, pensam que isto não deveria ter acontecido. Mas a verdade é esta: não havia outro caminho possível para lidar com o resultado das urnas", afirma Clegg.

As eleções de 6 de maio deixaram o Partido Conservador do primeiro-ministro David Cameron com a primeira maioria simples dos últimos 36 anos, e só uma coalizão de Governo com seu partido, argumenta Clegg, faria possível uma legislatura estável.

Os "tories" conseguiram eleger 306 deputados, os trabalhistas do ex-primeiro-ministro Gordon Brown 258 e os liberais-democratas 57, em uma Câmara dos Comuns (câmara baixa do Parlamento) com 650 cadeiras.

Nestas circunstâncias, "a aritmética parlamentar transformava em impraticável uma coalizão liberal-trabalhista, que seria considerada ilegítima pelo povo britânico", disse.

O "número dois" do Governo britânico disse ainda que um governo em minoria seria "demasiado frágil para enfrentar os desafios políticos e econômicos que temos pela frente".

Clegg ressalta a ambição "liberal" de seu partido neste pacto de Governo com os "tories", o que foi considerado uma traição por muitos militantes do partido, que se consideram mais próximos ao trabalhismo que ao Partido Conservador.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host