UOL Notícias Notícias
 
15/05/2010 - 03h14 / Atualizada 15/05/2010 - 07h16

Novos tiroteios causam pelo menos três mortes em Bancoc


Em Bancoc

Pelo menos três pessoas morreram e cerca de dez ficaram feridas em confrontos neste sábado entre manifestantes e soldados tailandeses em vários pontos da zona central de Bangcoc, indicaram testemunhas e fontes médicas.

As mortes aconteceram durante tiroteio entre "camisas vermelhas" armados com pistolas e os soldados do Exército no acesso norte da zona ocupada pelos ativistas da frente antigovernamental.

Em outro extremo da zona ocupada, perto do parque de Lumpini (muito visitado por turistas), vários manifestantes ficaram feridos quando os soldados abriram fogo depois que foram atacados com duas granadas, cujos estilhaços atingiram pelo menos um militar.

Segundo o Centro de Emergências Erawan, que coordena a assistência nos hospitais da capital, na quinta e na sexta-feira houve 16 mortes e pelo menos 160 pessoas ficaram feridas.

Fontes militares estimaram que cerca de 500 "camisas vermelhas" seguem usando armas de fogo contra soldados em parte da região central da cidade, e consideraram "tensa" a situação no lado leste dos acampamentos.

Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas no começo da manhã deste sábado nesta região durante tiroteio entre um grupo de manifestantes e soldados.

O porta-voz do Exército, coronel Sansern Kaewkamnerd, indicou que em seus ataques os camisas vermelhas disparam com pistolas e arremessam granadas do tipo M-79. O comando planeja aumentar o desdobramento de soldados.

Também perto do parque Lumpini, várias dezenas de manifestantes incendiaram pneus e uma cabine telefônica, enquanto os soldados que estavam a poucos metros responderam com disparos ao ar.

Os confrontos acontecem em uma área de oito a dez quilômetros quadrados da zona central de Bangcoc, cidade de 1.568 quilômetros quadrados onde vivem cerca de 12 milhões de pessoas.

A onda de violência começou na quinta-feira quando o assessor militar da frente antigovernamental, o general rebelde Khattiya Sawasdipol, levou um tiro na cabeça, aparentemente vítima de um franco-atirador. Segundo os médicos, o general se encontra em estado de coma profundo.

Os "camisas vermelhas" são partidários do ex-líder Thaksin Shinawatra, deposto por militares em 2006 e condenado depois à revelia a dois anos de prisão por corrupção.

O Governo do primeiro-ministro e líder do Partido Democrata, Abhisit Vejjajiva, retirou esta semana sua proposta de realizar eleições em novembro, quando os chefes dos "camisas vermelhas" voltraram atrás em seu compromisso inicial de abandonar o protesto.

Segundo o ministro da Defesa, general Prawit Wonsuwon, a operação militar quer pressionar os manifestantes para que retornem à mesa de negociações com o Governo.

Desde que os protestos tiveram início em Bangcoc, há dois meses, pelo menos 41 pessoas morreram e cerca de 1.400 ficaram feridas em explosões de granadas, tiroteios e confrontos entre as tropas e os manifestantes que exigem a queda do Executivo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h42

    -0,56
    63.723,44
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host