UOL Notícias Notícias
 
26/05/2010 - 11h27 / Atualizada 26/05/2010 - 12h47

Partido mexicano critica detenção de seu candidato a governador

México, 26 mai (EFE).- O esquerdista Partido da Revolução Democrática (PRD) considerou uma "manobra política" a detenção de um de seus militantes, o candidato a governador do estado de Quintana Roo Gregorio Sánchez, por supostas ligações com o crime organizado e lavagem de dinheiro.

O presidente do partido, Jesús Ortega, disse hoje à emissora "MVS" que as acusações contra Sánchez são "tolices para poder mantê-lo na prisão" ou crimes "inventados", em um momento em que ele vai bem nas pesquisas de intenção de votos para as eleições estaduais de 4 de julho.

Segundo o presidente do PRD, a detenção aconteceu já que Sánchez, ex-prefeito de Benito Juárez, tem possibilidades de vencer o candidato a governador do estado de Quintana Roo pelo Partido Revolucionário Institucional (PRI), Roberto Borge.

"O fato é que Gregorio está muito bem posicionado, fez uma gestão muito boa na Presidência municipal (de Benito Juárez) e, a partir da gestão, cresceu como um candidato possível de ganhar as eleições a governador", disse o presidente do PRD.

Para Ortega, trata-se da manobra "mais grave, mais grotesca e mais escandalosa" para favorecer o candidato pelo PRI.

Sánchez foi detido na noite de ontem, no aeroporto de Cancún.

Ele é acusado de fornecer "informação e proteção" a duas das principais organizações criminosas do país, os Beltrán Leyva e os Zetas, além de lavagem de dinheiro e crimes contra a saúde.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host