UOL Notícias Notícias
 
28/05/2010 - 07h35 / Atualizada 28/05/2010 - 08h21

China "não vai proteger responsáveis" por afundamento de navio sul-coreano

Seul, 28 mai (EFE).- O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, afirmou hoje, em Seul, que Pequim "não protegerá os responsáveis" pelo afundamento da corveta sul-coreana "Cheonan", em março, pelo qual a Coreia do Sul acusa Pyongyang, informou um porta-voz oficial sul-coreano.

Wen, que manteve hoje um longo encontro com o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, disse, além disso, que a China, principal aliado de Pyongyang, decidirá sua posição sobre o caso "com justiça" e respeitando a investigação feita por diversos países que culpa o regime comunista norte-coreano, segundo a agência "Yonhap".

Até o momento, Pequim tinha pedido moderação, calma e diálogo na península coreana e tinha se limitado a considerar o assunto "altamente complicado".

Wen afirmou que o Governo chinês ainda deve decidir se considera boas as conclusões da investigação de especialistas de cinco países sobre o fato, que deixou 46 mortos, mas ressaltou que "respeita" seu relatório e as respostas de cada Estado ao incidente.

A China "decidirá sua posição julgando de forma objetiva e justa o que é correto" no caso do "Cheonan", disse Wen, segundo o porta-voz oficial.

As declarações de Wen foram feitas durante uma visita a Seul, antes da cúpula que manterá neste fim de semana com o presidente Lee e o primeiro-ministro do Japão, Yukio Hatoyama, na ilha sul-coreana de Jeju.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host