UOL Notícias Notícias
 
04/06/2010 - 06h16 / Atualizada 04/06/2010 - 14h05

Polígamo, presidente sul-africano expulsou mulher infiel de casa, diz jornal

  • Ao centro, o presidente sulafricano, Jacob Zuma, e sua esposa, Nompumelelo Ntuli-Zuma, que supostamente o teria traído, são recebidos na Índia pelo primeiro-ministro indiano Manmohan Singh e pela presidente Prathibha Singh Patil. O encontro aconteceu hoje em Nova Déli

    Ao centro, o presidente sulafricano, Jacob Zuma, e sua esposa, Nompumelelo Ntuli-Zuma, que supostamente o teria traído, são recebidos na Índia pelo primeiro-ministro indiano Manmohan Singh e pela presidente Prathibha Singh Patil. O encontro aconteceu hoje em Nova Déli

O presidente da África do Sul, o polígamo Jacob Zuma, expulsou de sua casa durante o Natal passado uma de suas mulheres, que o traiu com um guarda-costas, posteriormente falecido, informa nesta sexta-feira (04) a imprensa local.

Segundo o jornal "The Star", Nompumelelo Ntuli também não é admitida na casa do presidente Zuma em sua localidade de nascimento, na província de Kuazulu Natal, pois, com a infidelidade, "ofendeu" seus ancestrais e a família Zuma.

No entanto, Ntuli acompanha o presidente em uma viagem oficial à Índia, de onde retornarão neste sábado.

A esposa infiel participou do funeral de Phinda Thomo, o guarda-costas com quem supostamente foi infiel a Zuma, no populoso bairro de Soweto, no sudoeste de Johanesburgo.

Veja também: presidente da África do Sul se casa pela quinta vez; ele tem 19 filhos

Enquanto Zuma não reagiu às informações publicadas pela imprensa, o porta-voz da Presidência, Vincent Magwenya, disse que seu departamento não está autorizado a comentar assuntos particulares e familiares.

A família do presidente, por meio de seu sobrinho, Khula Zuma, acusou os inimigos políticos do líder e a imprensa de violar a intimidade do presidente, de Ntuli e de toda a família.

O presidente, que tem 20 filhos reconhecidos, foi casado cinco vezes. Atualmente tem três esposas e uma namorada, com quem planeja se casar.

Ele defende a poligamia como um costume e tradição dos chefes do povo zulu, ao qual pertence, e, paradoxalmente, afirma que defende a igualdade de direitos entre os sexos.

As relações sexuais fora do casamento de Zuma, que inclusive foi julgado por estupro, mas foi absolvido em 2006, reveladas e admitidas em diversas ocasiões, causaram críticas públicas devido ao mau exemplo para um país no qual a incidência do HIV chega a 19% da população adulta.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host