UOL Notícias Notícias
 
11/06/2010 - 01h14 / Atualizada 11/06/2010 - 01h57

Ex-presidente taiwanês condenado à perpétua tem pena reduzida a 20 anos

Taipé, 11 jun (EFE).- O Tribunal Superior de Taiwan rebaixou nesta sexta-feira a 20 anos a condenação de prisão perpétua do ex-presidente Chen Shui-bian e de sua esposa Wu Shu-chen, informou a rede televisiva local "CTI".

Chen, que está preso preventivamente desde o fim de 2008, foi condenado em setembro de 2009 à prisão perpétua junto a sua esposa por apropriação indevida de fundos públicos e lavagem de dinheiro.

A nova sentença rebaixa também as multas a pagar pelo presidente e sua esposa, que passam de US$ 6,1 milhões e US$ 9,1 milhões para US$ 5,2 milhões e US$ 6,1 milhões, respectivamente.

O ex-presidente, ferrenho defensor da postura independentista durante seus dois mandatos de 2000 a 2008, foi declarado inocente esta semana em um caso de apropriação ilícita de fundos do Ministério de Assuntos Exteriores.

Os processos contra Chen começaram a partir da divulgação do uso de recibos falsos de sua esposa na justificativa de despesas de um orçamento presidencial.

Chen, do independentista Partido Democrata Progressista, segue afirmando ser inocente de todas as acusações e afirma que os fundos não justificados foram dedicados à diplomacia secreta do país.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    1,28
    73.437,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host