UOL Notícias Notícias
 
15/06/2010 - 08h44 / Atualizada 15/06/2010 - 08h54

Otunbayeva não vê necessidade de forças de paz no sul do país

Moscou, 15 jun (EFE).- A presidente interina do Quirguistão, Rosa Otunbayeva, declarou hoje que por enquanto não vê necessidade de enviar forças de paz ao sul do país, onde "o conflito está diminuindo".

"O conflito em Osh e Jalal-Abad está abrandando, e o Governo provisório confia que essa tendência será mantida", disse Otunbayeva em entrevista coletiva, informou a partir de Bishkek a agência russa "Intefax".

No sábado passado, o líder quirguiz anunciou que tinha solicitado à Rússia o envio urgente de forças de paz para controlar a situação no sul do Quirguistão, onde segundo os dados oficiais os choques étnicos deixaram pelo menos 170 mortos desde no último dia 11.

O Kremlin respondeu esse mesmo dia que considerava o conflito no Quirguistão um "assunto interno" desse país centro-asiático, embora se mostrado aberto a que a Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC) estudasse a solicitação das autoridades do Quirguistão.

Além de Rússia, fazem parte da OTSC seis antigas repúblicas soviéticas: Armênia, Belarus, Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão e Uzbequistão.

Otunbayeva admitiu que o número de mortos pode ser maior do que indicam as autoridades do Ministério da Saúde.

Como explicou a presidente interina, na tradição local, o povo enterra os corpos imediatamente após a morte, sem levá-los ao hospital para que as causas da morte sejam apuradas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h00

    -0,25
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h02

    0,10
    63.821,64
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host